A Lei do Mínimo Esforço

Já notou que a natureza não se esforça para que seus eventos aconteçam? As árvores não tem dificuldade para trocarem suas folhas tampouco para dar frutos. O planeta Terra não sofre para girar em torno de si. A lagarta precisa ficar completamente imóvel para transformar-se num ser bem diferente daquele que era e assim, poder voar livremente para embelezar ainda mais o mundo.


O concurseiro vive uma rotina de muito trabalho, cansaço físico e mental. Gasta energia demais para conseguir aquilo que quer. Em "A arte de sonhar", Don Juan diz a Carlos Castañeda: "...Uma grande quantidade de nossa energia é usada para sustentar a nossa empáfia... Se conseguíssemos perder um pouco dessa empáfia, dois fatos extraordinários aconteceriam: liberaríamos essa energia que tenta preservar a noção ilusória de nossa grandeza e teríamos energia sobrando para vislumbrar a verdadeira grandeza do universo." Na incansável tentativa de criar os sonhos que queremos, esquecemos o mundo lá fora. Você, concurseiro, se tranca em seu quarto para estudar, mas você não está sozinho. Os cientistas ficam meses sem ver suas famílias ou artistas que rodam o mundo trabalhando enquanto o mundo muitas vezes está a descançar.

O fantástico escritor hindu Deepak Chopra diz que para que a lei do mínimo esforço possa existir são necessários três componentes básicos. O primeiro é aceitação, pois temos de aceitar, pessoas, situações, tempo, condições e fatos da maneira que vierem. Isso te leva a experimentar a sensação de que todo o seu passado te trouxe a este momento. Tudo o que está acontecendo agora, inclusive este texto que você está lendo e o próprio fato de eu o estar escrevendo é o somatório da sua vida e da minha até aqui. Até este Agora. Aceitar as coisas como elas são. Você pode querer um futuro diferente do hoje, mas hoje você tem de aceitar essas coisas, caso o contrário, estará lutando contra tudo o que te trouxe até aqui, contra si mesmo.

O segundo é responsabilidade. Responsabilidade é não culpar aos outros e tampouco a si mesmo. Segundo Chopra, responsabilidade é a habilidade de dar uma resposta criativa a algum problema. Como você já está seguindo o primeiro critério, você já está aceitando e assim, perceberá que esse “problema” não é algo ruim, mas um portal para um novo nível de consciência e sucesso. Em outras palavras, o problema, para o ser responsável e que segue a lei do mínimo esforço, é na verdade Oportunidade.

O terceiro ponto é a indefensibilidade, desistir de fazer os outros entenderem o seu ponto de vista. Desarmar o seu espírito de qualquer tentativa de persuadir o outro a crer que você é quem tem a razão. Quando você está tentando argumentar está perdendo uma quantidade enorme de energia. A maioria das pessoas passa grande quantidade de seu tempo defendendo suas idéias. O que Chopra diz é que na desistência, você ganha uma energia enorme que antes era desperdiçada. A grande pergunta é: Para que eu quero defender as minhas idéias? No caso do concurseiro, eu perguntaria: Por que gasto tempo justificando aos outros as minhas intenções? Por que perco tempo explicando os motivos de eu ainda não ter passado no concurso até agora? Qual o meu real objetivo disso? O seu sucesso concurseiro está no Agora, no Presente. Agarre o seu Presente como se de fato fosse um presente, porque ele é a coisa mais perto do real que há, já que o Futuro ninguém sabe e o Passado eu não posso modificar. Mas sempre se lembre: "Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim".

Cultive amor pelos seus estudos. Eu tive uma conversa com o professor Jorge Braga e ele me contou algo muito interessante: em suas aulas ele mostra aos alunos a legislação de modo holístico, global, ensinando as leis com base no cotidiano e fazendo com que eles as percebam integradas com as outras leis. Tudo está integrado, conectado. Somente o concurseiro tranquilo gera essa noção e o amor por cada coisa que você faz gera esse estado. Isso é o básico da lei do mínimo esforço, não é fazer menos, mas o necessário com o amor. Não há necessidade de sofrer para conseguir aquilo que se quer. Lembre-se das palavras do Divino Mestre: “Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á.” A grande pergunta é: Você, concurseiro, está pedindo exatamente aquilo quer? E o que é que você quer?

Sucesso!

Eric Gerhard

IMPORTANTE - Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.



———«»———«»———«»———



8 Response to "A Lei do Mínimo Esforço"

  1. andre says:

    Gente estou viciada nesse blog,Rs.
    Cara equipe,solicitei a minha camiseta, mas como saberei se o pedido foi aceito com sucesso.
    Fico no aguardo.
    Tarcila Lima
    Concurseira viciada no concurseirosolitario.

    Vivi says:

    Eric sempre reacende a esperança em mim. Amo tudo o que ele escreve. Se tivesse recursos financeiros, faria curso de PNL para me ajudar a passar em um concurso. Estudo já há anos, fiz boa faculdade de Direito, passei na OAB na primeira tentativa, mas não sei o que acontece com os concursos, pois, embora estude bastante, não passei em nenhum até hoje (tenho quase 3 anos de estudos exclusivos!!!) Bom, gostaria que o Eric falasse sobre o horror da concorrência. Eu fico apavorada, pois não me acho boa o suficiente para vencer, por exemplo, mil candidatos (e até muito mais) por uma vaga!
    PS: Amei o artigo e gosto muito do seu blog. Em seus vídeos, você parece ser uma pessoa serena e segura, que realmente acredita no que diz.

    Sil says:

    Hoje acordei tão cansada, desanimada. Ontem fui dormi 00:33 o que é cedo, fico estudando até as 2:00 mas ontem não deu.Então este artigo caiu como uma luva .
    Adoror este bloggggggggggg

    Confesso que não entendi o texto, após leitura e releitura: afinal o autor defende ou contraria a "lei do mínimo esforço"? Afinal, ela é boa ou ruim para o concurseiro? A meu ver, conforme foi colocado, há somente aspectos ruins e bons dessa lei, e aparentemente uma contradição entre a lei natural e a postura do concurseiro. Haveria possibilidade de melhor esclarecimento? Grato.

    Como sempre, mais um ótimo texto!

    Paula Oliveira
    Concurseiro Solitário

    Eric Gerhard says:

    Cleber!

    Eu defendo e muito a lei do mínimo esforço, e explico que não é a lei do preguiçoso como muitos pensam e inclusive eu pensava antes de conhecê-la, mas a lei que indica que precisamos acima de tudo ter muito amor por tudo o que rodeia aquilo que buscamos para diminuir o nosso sofrimento no processo dessa conquista. Porque segundo o Deepak Chopra, o esforço é sofrimento e quando fazemos as coisas com amor, fazemos sem sofrimento sem esforço. Em outras palavras, podemos minimizar o esforço em todas as áreas da vida, aumentando o poder de amar todas as coisas ao nosso redor.

    Sucesso!

    Agora compreendi Eric. Parabéns pelo ótimo trabalho. Não sabe o quanto tem me ajudado sua colaboração, eu que há 8 anos estou na batalha concurseira. Abraço, sucesso!

    Marina says:

    Olá, Eric

    Gostaria de saber, como disse um dos leitores, como lidar com a grande concorrência. É psicologicamente muito difícil milhares de candidatos por uma vaga. Dá a sensação de que é quase uma loteria e que não somos bons o bastante.Como lidar com isso?

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme | Blogger Templates | Low Interest Credit Cards