COLUNA DA FABI - A boa filha a casa retorna

Alguns leitores estão cobrando a presença dos demais colunistas do Blog, e eu pelo menos, nunca saí daqui.

Estou sendo uma leitora assídua, pois agora quem precisa de um combustível extra sou eu.

Quem já acompanha a minha trajetória, sabe que eu presto um dos concursos públicos mais difíceis, a magistratura trabalhista.

Em meio a algumas parciais vitórias, pois são ao total 5 fases que levam de 6 a 8 meses de certame para um único concurso, ainda estou no meio do caminho, e isso às vezes leva a frustração.

Estou cansada de tanto levar na cabeça, mas levanto e continuo estudando, pois não tenho outra saída, pois quero ser magistrada por vocação. Não me imagino fazendo outra coisa na vida que não sendo a juíza do trabalho que sempre sonhei. O salário de 19 mil mensais é realmente tentador, mas ninguém acredita que isso vira alguns poucos reais em meio a produção de tantas sentenças e audiências realizadas. Hoje em dia, quem fizer concurso para a magistratura apenas pelo salário, acaba abandonando a carreira, porque ela não é nada fácil, como de fato está ocorrendo.

Realização de audiências nos dois turnos, sentenças para proferir à noite. Aí vocês devem estar se perguntando, e nos finais de semana? Proferir mais sentenças! Elas não terminam nunca! Imaginem uma pilha que nunca termina... Quando pensa que ela está baixando ela vem e aumenta... E é isso mesmo que os examinadores e a sociedade esperam de nós, os concursandos das carreiras da magistratura, muita produção, trabalho e consciência social.

Então pessoal, assim como a carreira é muito desgastante, o concurso também o é. Estou estudando bastante para conseguir galgar a minha vaguinha esse ano ainda. Nessa carreira o problema não são as vagas, essas sobram, tal qual como ocorreu agora no último concurso do RJ, onde tínhamos a oferta de 41 vagas e parece que somente 16 tomaram posse.

Já sei (pelo menos acho), os meus limites e erros e estou tentando supri-los de qualquer jeito, e nesse caminho só tem uma saída, ESTUDAR E MUITO. As leis mudam todos os dias e temos que correr atrás da máquina. Investir em bons materiais, livros e aulas não são luxos, são necessidades. Pense que é um investimento que você pagará nos primeiros salários após a sua posse.

RESUMO DA ÓPERA - Já passou a minha fase “oba-oba”, agora sei que tenho que estudar mais e mais, e que eu sou a maior concorrente de mim mesma. O dia que eu conseguir ultrapassar meus limites e minhas barreiras, eu chegarei lá. E isso não é diferente com vocês também, independentemente de qualquer carreira que se escolha. Diga não à procrastinação e estude, estude e estude.

Fabiana Pacheco uma concurseira que nunca saiu de casa.

IMPORTANTE - Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.

———«»———«»———«»———

CLIPE DO DIA

Concurseiros devem ser igual a esse gatinho esperto do vídeo. Ele vai se aproximando devagarinho, como quem não quer nada e então ...



1 Response to "COLUNA DA FABI - A boa filha a casa retorna"

  1. quando comecei a estudar direito uma das áreas que mais gostei foi direito do trabalho, uma pena minha área não ser direito, mas se fosse, gostaria de trabalhar tambem neste ramo

    bao sorte e fé ! ( obrigada pelo comentário no meu blog...!)

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme | Blogger Templates | Low Interest Credit Cards