São tantos problemas ...

Concurseiros têm de lidar com muitos tipos de problemas, que vão desde os puramente financeiros (dificuldades para pagar inscrições caras, comprar material de estudo, ...), passando pelos pessoais (descrença da família, crítica dos amigos, ...) até os criados pela própria cabeça (desânimo, frustração, ...), isso é fato.

A maioria dos concurseiros sérios que já conheci confessaram que nunca esperavam ter de enfrentar toda essa gama de problemas quando decidiram estudar para concursos públicos de forma séria e responsável, estudar para passar e ser empossados. Tudo parece muito mais simples e fácil quando se está fora da guerra dos concursos públicos, seja como concurseiro falso ou como não concurseiro. Nessa ocasião passar em concursos públicos parece muito mais fácil, muito mais simples, se resumindo a estudar mais ou menos aquela apostila comprada na banca de jornal ... ledo engano, claro.

Só que os problemas existem e temos de encará-los uma hora ou outra, não há como ser de outra forma. Alguns problemas poderão ser solucionados mais rapidamente ou com menos esforço que outros, alguns nem poderão ser solucionados. Além disso, problemas têm o horrível hábito de aparecerem aos bandos nos momentos menos apropriados, faz parte da sua natureza, e, mais uma vez, temos de lidar com eles e ponto final.

Além disso, reclamar não adianta muito, não ajuda em nada na solução de qualquer problema que seja. Não que não devamos reclamar, somos seres humanos, brasileiros, logo reclamar faz parte de nossa natureza, então reclamemos a vontade sem deixar com isso de procurar solucionar os problemas da melhor forma possível. Além disso, não conheço concurseiro sério que não reclame um pouco, por mim já se tornou até uma tradição.

Particularmente, acredito que devemos usar uma escala de prioridades para resolver problemas que se apresentam em grupo. Pare, liste os problemas que vem enfrentando e os classifique em uma escala de um a cinco sendo o um os mais críticos e cinco os menos graves, mas nada de ser muito severo na classificação, seja realista, senão todos os problema serão de nível um. Classificados os problemas, observe agora onde o maior número se agrupa. Se houver mais problemas de níveis um e dois, comece resolvendo-os por aí. Se houver mais problema de níveis quatro e cinco, comece por aí. Agora, se houver mais problemas nível três, comece por eles.

Resumo da ópera – Problemas foram feitos para serem solucionados, lamentados e servirem de motivo de reclamação. Então reclame dos seus problemas, mas faça o que puder para solucioná-los da melhor forma possível, e os que não puderem ser solucionados, pelo menos procure amenizar seus efeitos.

Charles Dias é o Concurseiro Solitário.

IMPORTANTE - Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.

———«»———«»———«»———

CLIPE DO DIA



O clipe de hoje não é de uma música, mas de uma perseguição muito divertida feita pela polícia dos Estados Unidos. Assistam e dêem boas risadas.

1 Response to "São tantos problemas ..."

  1. Cleber says:

    Ao longo do tempo, passei a ver que existem problemas urgentes, importantes e as prioridades. A prioridade é passar; os demais são urgentes ou importantes. Então, devemos nos dedicar ao principal, e não nos deixar levar pelos 'deflagradores'.

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme | Blogger Templates | Low Interest Credit Cards