Ping, ping, ping ...

Ufa, gente, finalmente o problema com o blogger está resolvido e voltamos a nossa programação normal de artigos diários.

Dias atrás após escovar os dentes antes de dormir, tapei o ralo da pia com aquela tampinha de plástico usada para isso, visto que desconfiava que a torneira andava pingando, já que havia acordado algumas vezes no meio da noite nos últimos dias com aquele “ping, ping, ping” característico.

No dia seguinte, quando fui escovar os dentes logo após acordar, deparei-me com a pia cheia de água, quase transbordando. Enquanto escovava os dentes observava os pingos caírem da torneira lentamente, muito lentamente, à razão de um pingo a cada dez segundos mais ou menos.

Se pensarmos bem, estudar para concursos e uma pia que se enche gota-a- gota têm muito a ver. Vamos pensar sobre isso um pouquinho.

Estudar para concursos públicos significa ter de estudar um volume enorme de matérias, absorver grande parte do seu conteúdo, memorizar muita coisa. O concurseiro médio tem de estudar ao longo de sua luta até a posse em cargo públicos uma média de dez matérias, podendo esse número variar para mais ou para menos dependendo dos cargos que tiver mirando. Só que cada uma dessas matérias é bastante volumosa. Há os vários direitos (constitucional, administrativo, tributário, previdenciário, ...), matérias matemáticas, AFO e por aí vai.

O que atormenta muitos concurseiros é a relação entre o volume de matérias para estudar e o tempo necessário para estudar tudo isso o suficiente para poder garantir uma das vagas oferecidas no edital de algum concurso público. Entre os concurseiros iniciantes a tendência é de acreditar que se precisará estudar muito menos e por menos tempo do que o necessário. Então há um choque com a realidade quando o concurseiro descobre que não há “menos” nenhum nessa guerra e que terá de estudar muito mais e por mais tempo do que o que imaginava. Então vem o desespero, acompanhado de questionamentos do tipo “será que estou estudando o suficiente?”, “será que ainda demorará muito até eu vencer essa guerra?”.

Gente, não adianta, a não ser que você seja uma daquelas pessoas com super memória, você terá, sim, de ficar martelando toda a matéria tempo o suficiente até ter o suficiente na cabeça para poder ir muito bem numa prova de concurso público. E não é somente memorizar, notem isso, é preciso também entender e muito bem a matéria.

Estudar para 99,9% dos concurseiros é como uma pia com um tampão mal ajustado no ralo e uma torneira pingando continuamente, vai-se aprendendo coisas, esquecendo-se um pouco disso, mas o conhecimento vai-se acumulando, enchendo a pia aos poucos, devagar, até que uma hora ela esteja quase transbordando ... é aí, exatamente quando isso acontece, que o concurseiro atinge o sucesso, vence e garante sua posse em cargo público.

Resumo da ópera – Não adianta nada ficar desesperado. O negócio é estudar, estudar, estudar até que chegue a hora que você saiba o suficiente para garantir sua vaga entre os aprovados dentro do número de vagas de um concurso público. Lutar contra isso é nonsense, bobagem, perda de tempo. Ao invés de ficar revoltado, use essa energia para ter paciência para continuar estudando com qualidade e constância, pois apenas isso garantirá sua vitória na guerra dos concursos públicos.

Charles Dias é o Concurseiro Solitário.

IMPORTANTE - Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.

1 Response to "Ping, ping, ping ..."

  1. Como eu estava dizendo no chatbox(?), vi um exemplo interessante nesta semana. Uma conhecida de fórum se prepara para concursos de TRTs desde 2007 (ou até mesmo pouco antes disso). Em alguns concursos, não teve sua dissertativa corrigida por um ponto. Com o tempo, foi melhorando. No TRT-SP, ficou um pouco antes dos 1000. Um determinado conhecido dela foi bem, mas nem tanto (deve ter ficado entre os 500 primeiros -não me lembro-). Só sei que esse mesmo cara ficou entre os 15 primeiros em um outro TRT e a moça ficou bem longe. NO TRT RJ, o cara ficou entre os 400 primeiros e a moça bem longe.
    .
    No último TRT Maranhão, a moça ficou entre os 180 primeiros, e o cara ficou pra lá de 400 (deve ter ultrapassado a classificação 1000 ou 2000, pois eles ficaram com qse 25% de diferença na nota).
    Infelizmente, não posso trabalhar com classificação exata, porque tenho que preservar a identidade das pessoas mencionadas e tbm pq tá meio difícil de reencontrar as classificações.
    .
    .
    O 1º colocado nem sempre tem um cérebro especial. Pode ocupar a 1ª posição em um, mas tbm as últimos em outro concurso (e digo concurso posterior).
    O moça pagava um pau para o cara (eles se conhecem -fórum-). Hj, ela foi bem melhor do que ele. E tudo isso em menos de um ano e meio. É só comparar a data do TRT Alagoas e TRT Maranhão.
    Se a moça tivesse estudado apenas para Técnico (menos matérias), teria ido melhor; mas prestou para Analista, tbm (sempre presta os dois cargos).
    .
    .
    Ping, Ping... Vá estudando, que um dia vc enche a sua pia. Se deixar de estudar, é bem provável que a água vazará pelos poros da tampa, brechas ou até mesmo evaporar. Entenda por água os seus conhecimentos.
    .
    Aliás, a água evapora em qlqr temperatura (lentamente, mas evapora), por isso que é importante repô-la. Reponha seus conhecimentos, faça revisão.
    .
    .
    .
    B.C

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme | Blogger Templates | Low Interest Credit Cards