É tudo uma questão de ponto de vista

O artigo de ontem causou mais controvérsia do que eu imaginava que poderia causar. O clima esquentou no shoutbox e foram vários os emails que recebi de leitores do blog, tudo por conta da polarização das opiniões. Muitos concordaram com minha posição expressa no artigo, enquanto outros discordaram completamente.

Pois bem, vamos então trabalhar um pouco melhor esse assunto hoje. Começo com uma pergunta. Tempos atrás estava conversando com um amigo que nem pensa em concursos públicos. Ele trabalha com desenvolvimento de softwares para uma grande empresa do ramo, gosta do que faz, a empresa o valoriza e ele tem um salário mensal pouco menor que R$5 mil reais, é casado, tem uma filhinha linda de cinco anos de idade, a esposa é professora de jardim de infância. Ele contava que havia ido ver o preço de uma automóvel maior, algo do tipo Meriva, Zafira, Megáne, Picasso, aqueles carros tipo minivam para quem tem filhos que não param quietos. Pois, bem, se apaixonou pelo novo Citroen C4 Picasso, achou o automóvel bonito, confortável, bom de dirigir, com ótimo espaço interno e tal, mas assustou com o preço, R$83 mil. Conversa vai, conversa vem, contras analisados, prós levantados, então ele me disse algo que reflete muito bem a realidade. “Charles, não é o carro que é caro, nós brasileiros é que ganhamos pouco mesmo”.

A discussão em torno do artigo de ontem foi sobre ser correto um servidor do Senado Federal ter uma remuneração média em torno de R$20 mil. Não só entre nós, mas na mídia e na boca do povo, esse valor é imoral, absurdamente algo, incompatível com a realidade brasileira, escandaloso e tal. Concordo que esse valor é realmente muito alto se o compararmos com o salário mínimo atual de R$465 (é 43 vezes maior), ou mesmo com a remuneração média (de edital) de um servidor de nível médio na esfera federal, em torno de R$3,5 mil (5,7 vezes maior). Mas daí adapto o que disse esse meu amigo e pergunto para vocês. “Concurseiros, não são os servidores do Senado que ganham muito, são as outras profissões que ganham pouco mesmo?”.

Vocês acham que um salário mínio de R$465 é justo ou mesmo suficiente para dar conta de todas as necessidades previstas na Constituição, que tecnicamente o salário mínimo deveria cobrir? Vocês acham que R$3,5 mil é uma remuneração ótima para um servidor público federal? Eu acho que não para ambos os casos.

Tudo é uma questão de ponto de vista, de termos de comparação. Automóveis Mercedez no Brasil é sinal de status, de luxo, de riqueza. Na Alemanha e vários outros países da Europa Mercedez é usado como táxi, é um carro médio acessível à classe média. Outro exemplo, nos Estados Unidos um aparelho de celular Iphone de 16GB, aquele famoso de tela sensível da Apple, custa US$299, o equivalente a menos de R$600. No Brasil o mesmo aparelho, sem subsídio de operadora, custa por volta de R$2 mil. E olha que esses aparelhos são importados tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, uma vez que são fabricados na China. Além disso, US$299 frente ao salário mínimo médio dos Estados Unidos, que gira em torno de US$1500, é apenas 1/5 do danado. Aqui o mesmo Iphone custa 4,3 salários mínimos!

Notem que não defendo de forma alguma salários faraônicos para servidores públicos, não é nada disso. Argumente, isso sim, que no geral os salários e remunerações no Brasil são é muito baixos, muito baixos mesmo, essa é a grande verdade. Se o salário mínimo no Brasil fosse equivalente ao norte americano, por volta de R$2500, e um servidor médio federal tivesse uma remuneração média de R$10 mil, essa remuneração do Senado Federal não pareceria tão exorbitante. Estou certo ou estou errado?

Agora, outro ponto que quero argumentar é quanto ao fato de que como servidor público quem não concordar com o valor da remuneração recebida poderá tomar apenas três atitudes, se a remuneração for muito baixa poderá fazer greve (como acontece sempre no serviço público) ou pedir exoneração, se for muito alto poderá pedir exoneração. Nunca soube de servidor que se recusou a receber toda a remuneração por considerá-la alta demais e, portanto, injusta, e nem sei se existe um modo de servidor público recusar oficialmente parte da remuneração.

Resumo da ópera - Termino esse artigo com uma pergunta. Você foi nomeado e empossado para um cargo público com remuneração de R$3,5 mil. Está tudo muito bom, tudo muito bem. Então é publicado no Diário Oficial que a remuneração do seu cargo passará a ser de R$10 mil. O que você, servidor honesto e trabalhador, faria? Continuaria trabalhando e recebendo tal remuneração? Pediria Exoneração por não concordar em receber uma remuneração tão alta?

Charles Dias é o Concurseiro Solitário.

IMPORTANTE - Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.

ATENÇÃO - Para enviar esse artigo para alguém, clique no envelopinho abaixo.

2 Response to "É tudo uma questão de ponto de vista"

  1. Regis says:

    Dinheiro nunca é o bastante, mas, em nenhum lugar do mundo, terá um motorista ganhando 12 mil dólares. Sim, pois a quantidade de moeda que gasta para viver é mais ou menos a mesma no Brasil ou nos EUA.

    No Brasil são caros os produtos de consumo, mas comida e habitação (os gastos diários) são muito mais baratos que nos países ricos.

    A renda média de uma família americana não chega a 50 mil dólares anuais.

    Assim, é importantíssimo que todo funcionário público tenha a noção que ele faz parte da elite (10 mil/mês estaria entre os 5% mais ricos?)! Tem que fazer valer o seu salário, pago pelo contribuinte (o que não acontece normalmente)

    Camisa 9 says:

    Bem lendo esse post agora, vou dar meu braço a torcer...não é o cara do Senado que ganha muito mesmo é nós que estamos acostumados com pouco...

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme | Blogger Templates | Low Interest Credit Cards