Os dois lados da moeda


Certo dia um dos leitores e visitantes do blog sugestionou que alguém escrevesse sobre a rotina de quem trabalha e estuda, pois sem dúvida deve haver muitos concurseiros nessa situação.

Bom, eu já estive em ambos os lados: tanto naquele que somente estudava o dia inteiro enquanto cursava a faculdade e posteriormente o lado que rala estudando e ao mesmo tempo trabalhando.

Eu costumo dizer que tudo em nossa vida ocorre exatamente da maneira que deve acontecer, nem mais nem menos, a não ser se você desperdiçar as chances que ela (vida) te dá.

Iniciei a faculdade estudando cerca de 2 a 3 horas líquidas por dia, sem técnica alguma, diga-se de passagem. Fui aumentando as horas com o passar do tempo. Confesso que até ingressar no curso superior nunca fui muito de estudar; fazia mais parte da turma dos preguiçosos (risos). Mas ao iniciar Direito me apaixonei pelo curso e comecei a me dedicar de verdade.

No meio do meu curso, passados dois anos e meio, eu já tinha a invejável marca de sete horas por dia de estudo após minhas aulas; caso as contabilizassem dava um total de 11 horas e meia de estudo puro no dia.

O grande problema era que circunstancialmente ocorria um desânimo de minha parte; aquela sensação de achar que a vida está parada, que você nunca evolui e que nada muda; em outras palavras: rotina!

A rotina bate forte na vida daqueles que só estudam, pois vira uma mecânica infindável: você chega no seu local de estudo, abre os livros e manda bala. Nada muda; tudo igual!

Porém, dou graças a Deus por ter tido esse tempo tão precioso, o qual me ajudou e muito a ter uma ótima base para enfrentar minhas primeiras batalhas (principalmente o exame da OAB). Às vezes somos tão ansiosos que não conseguimos enxergar o quão importante é vivermos algumas situações em nossas vidas.

Pois bem, terminada a faculdade, enfrentado o exame da OAB, ingressei nessa em julho do ano passado. Aí sim minha vida mudou radicalmente.

Pessoal, aqui eu friso que algumas mudanças levam muito tempo para nos readaptarmos e, mesmo que naquele momento pensemos que não conseguiremos passar por aquilo, tenha paciência, por mais difícil que seja, pois você irá se acostumar e o melhor: se adaptar.

Comecei a trabalhar efusivamente em um escritório de advocacia, fazendo a parte criminal e a parte de Fórum, no externo. Tomava-me muito tempo o trabalho. Comecei a ter que buscar alternativas para o meu estudo, pois é isso que o concurseiro deve ser sempre que há algo “atrapalhando”: ser um camaleão!

Assim, comecei a estudar escorado nos balcões dos Cartórios, sentado nos bancos de espera dos Fóruns, aproveitar ao máximo as aulas do cursinho que ingressei posteriormente e, é lógico, a maximizar meu tempo; ou seja, fazer o meu trabalho com qualidade sim, mas sem perder tempo.

E foi assim que comecei novamente a conseguir estudar 2, 3, 4 até 5 horas por dia. É claro que isso significa sair mais ou menos dez horas e meia da noite do trabalho, pois depois que terminava o meu serviço ficava estudando, aproveitando o computador da empresa.

Me desesperei como qualquer ser humano normal ao iniciar meus dias de trabalho, pois em um primeiro momento eu não tinha tempo nenhum. Parecia que tudo daria errado. Passei dias e mais dias de estresse total, pois não conseguia estudar. E aquilo parecia que iria minar totalmente a minha confiança e esperança de um dia tomar posse em um bom cargo público.

Ocorre que quando você tem um sonho, tudo pode acontecer, mas se realmente for um sonho, o TEU SONHO, e você tiver força de vontade para querer concretizá-lo, nada o impedirá. Pois quem vos fala é um concurseiro que já obteve vitória nessa vida louca de concurso, e que trabalha e estuda, como um mortal comum.

Resumo da ópera - Uma frase que descreve muito bem essa fase pós-faculdade que passo cumulando estudos e trabalho é essa: “Para chegar aonde muitos não chegaram, você deve fazer aquilo que muitos não fazem”. Não incentivo ao concurseiro se matar de estudar, sem um lazer de vez em quando, dar uma namorada, não! Pois isso é muito importante para manter o equilíbrio da sua vida. Então estude muito, mas estude com muito equilíbrio, racionalidade e acima de tudo SAÚDE!

Jerry Lima, um concurseiro que está aproveitando o caminho!

IMPORTANTE - Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.

———«»———«»———«»———

CLIPE DO DIA


Eu ouvi muito essa música quando lançou. Além da melodia excelente a letra é muito profunda.

1 Response to "Os dois lados da moeda"

  1. Sempre senti falta de alguém do Direito que passasse pelas mesmas dificuldades que estou prestes a passar. Adorei o post, me deu um ânimo agora nessa fase de reta final da faculdade ... mt obrigada Jerry

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme | Blogger Templates | Low Interest Credit Cards