Disse que me disse

Bom dia Charles, sou leitora do seu blog há algum tempo, e você tem me ajudado muito nesta vida de concursos, admiro o trabalho que você faz, e a força de vontade de seus estudos. Lendo o artigo “Concursos públicos superpop” desta semana me remeteu a um comporamento parecido de pessoas não concurseiras.

Sou advogada, formada há dois anos e meio, e logo que eu formei eu comecei a trabalhar, e estudar loucamente para entrar no setor público. Após fazer milhares de concursos, e estudar MUITAS horas comecei ter aprovações, e num segundo momento a obtive primeira (e tão sonhada) nomeação.

Tomei posse como assistente administrativo, nível médio numa autarquia federal, e logo depois saiu a nomeação de outro concursos, também de nível médio com igual remuneração, cargo este que eu não assumi.

Alguns meses depois (semana passada) fui nomeada no Ministério da Fazenda (concurso que não vou assumir por conta de lotação em uma cidade que pra mim não vale a pena), sendo que mesmo não assumindo me deu um imenso gás para continuar estudando, estou num momento muito bom, minha auto estima está nas alturas e isso é um ótimo estado de espírito para me dedicar aos estudos.

O fato é que vem ocorrendo um fenômeno engraçado atualmente: as pessoas me abordam e ficam indignadas - “ué, por que você não vai fazer tal concurso?” É comum parentes ligando avisando que saiu concurso de Magistratura ou de Ministério Público, achando que eu deveria fazer que eu passaria, e quando eu explico que eu não tenho bagagem para um concurso deste, sempre tem a história de alguém, filho de fulana, que nem era tão inteligente, e passou!

Quando situações assim acontecem é que a gente percebe como as pessoas têm uma imagem errada (e até muito ingênua) sobre concursos. Eu passei em alguns concursos depois de muito esforço e dedicação, e não porque eu nasci muito inteligente, todos os que eu passei tinham matérias muito parecidas. E depois de muito tempo fazendo e não passando (o que ninguém se lembra) eu tinha muito das matérias básicas bem estudadas.

Agora começo fazer provas para cargo de nível superior (estou entrando numa segunda fase), escolhendo concursos com editais menores e que possam ser estudados na íntegra, e sei que, hoje, eu ainda não estou me preparada para um concurso “superpop”, mas assim que eu passar num concurso melhor eu vou escolher um e estudar exclusivamente para ele.

Resumo da ópera - Concurso é coisa séria que exige um planejamento lógico e realista até na hora da escolha, é importante saber o tamanho das suas pernas para saber quão longe você pode chegar. As pessoas ao seu redor como família e amigos, acreditam na aprovação en qualquer tipo de concurso quando começam a ver resultados, mas para quem está de fora é difícil saber a complexidade do que acontece nos concursos.

Tolima Rosa é uma concurseira que não acredita em contos de fadas concurseiros e sabe que para vencer é preciso muita luta.

IMPORTANTE - Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.

2 Response to "Disse que me disse"

  1. Tolima,

    Gostei muito do seu texto porque todos os dias entro neste blog em busca de dicas pra quem possui nível superior em Direito.
    Estou com um problema sério neste ano. Sou estudante do 4º ano de Direito, no início do ano resolvi deixar meu estágio para dedicar aos estudos para concurso. Ocorre que antes disso, resolvi fazer minha monografia para que no 5º ano eu fique livre só para estudar para os concursos.
    Ainda não terminei a dita monografia para me ver livre, mas pelos meus planos terminarei no fim de setembro próximo. Enquanto isso já estou pensando em focar em apenas alguns concursos similares para estudar até o fim do ano que vem. Meus planos era estudar para o cargo de Analista de Tribunal que me traria uma remuneração boa e a tranquilidade da contagem do prazo como atividade jurídica. Os concursos desse tipo mantêm as mesmas matérias básicas, mas dependendo do Tribunal o foco é outro : Eleitoral, Trabalho, Processo do Trabalho, enfim... Tenho a dúvida se é possível estudar apenas as matérias básicas desses concursos e depois quando sair o edital correr atrás das matérias específicas.
    Já pensei em tentar as carreiras da AGU, mas não sei...
    No futuro distante meu sonho é Ministério Público Estadual.
    O que me resta nesses momentos de escolha é somente dúvida. E eu queria que alguém da área e com experiência em concursos me ajudasse com algumas dicas sobre essa nova fase. Nâo posso errar! Tenho um pai incompreensível, pouca grana guardada e uma mãe gente boa para investir nos concursos.
    Será que você pode me dizer o que você acha?

    Walkyria says:

    Eu acredito que as nossas pernas alcançam o que realmente desejamos alcançar. Não importa se você nunca fez um concurso na vida, mas se você se dedica, tem maturidade e tens teu sonho como um objetivo a ser alcançado, você pode fazer qualquer concurso (magistratura, ministério público, delegado e etc.). O segredo é acreditar que nós somos capazes.
    Fico muito triste ao me deparar com situações em que você vê seus próprios amigos falando que o teu concurso, aquele que é o teu sonho, é muito dificil (dificil eu já sei que é), mas posso dizer com toda certeza que
    amigo de verdade é aquele que fala "Vai que você consegue".
    Confia no teu potencial, que chegarás aonde quiser ir.
    Nos encontramos no topo da montanha!

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme | Blogger Templates | Low Interest Credit Cards