Ferramenta para o estudo eficiente

Um dos grandes obstáculos ao estudo eficiente de um concurseiro é o uso de material de estudo inadequado para determinada matéria E para determinado nível de intimidade com a matéria em questão.

Explico com um exemplo prático.

Como disse num artigo semana passada, estou estudando Direito Tributário pela primeira vez, para o concurso do Ministério da Fazenda. Amada por alguns, odiada por muitos, essa matéria não se mostra mesmo muito amigável no primeiro contato.

Antes de começar a estudá-la, fiz minha costumeira pesquisa por bibliografia, procurando na Internet pela opinião de outros concurseiros quanto aos melhores autores e títulos. Esse, aliás, é um passo não somente muito importante, mas imprescindível, para um estudo eficiente, afinal de contas, não dá para começar a estudar sem saber qual o melhor material de estudo disponível e, principalmente, o mais adequado.

Pois bem, pesquisa feita o livro de Direito Tributário do Ricardo Alexandre surgiu como unanimidade como sendo o melhor para preparo para concursos públicos, não somente o livro.

Por uma feliz coincidência, um amigo tinha o tal livro do Ricardo Alexandre e como não o está usando, me emprestou. Putz, antes do final do primeiro capítulo já sabia que teria um osso duríssimo para roer. Notem que não duvido que a matéria seja relativamente simples depois de entendida, mas enquanto não é entendida, é pra lá de confusa.

Então um colega concurseira e leitora do blog, ao ler meu artigo sobre as dificuldades que estava enfrentando com a matéria que escrevi semana passada, enviou uma dica preciosa. Ela disse que era melhor começar a estudar a matéria pelo livro do João Marcelo Rocha, um livro introdutório, e só então passar para o Ricardo Alexandre.

Procuro daqui, procuro dali, e consigo o livro do tal João Marcelo Rocha, que começo a estudar hoje na esperança de que torne o Direito Tributário mais tranqüilo de ser decifrado e devidamente aprendido.

Sacaram a importância da pesquisa preliminar quanto ao material de estudo?! O que tem de concurseiros por aí que apesar de soarem a camisa e cozinharem os neurônios acabam tendo um desempenho apenas mediano nos concursos que prestam por culpa de estudarem com material inadequado não está no gibi. É muita gente que se frustra com as derrotas pensando bobagens do tipo “putz, eu sou muito burro” ou “eu mereço, não estudei direito”, quando, na verdade, a culpa é toda do material inadequado.

Uma das maravilhas da Internet é a possibilidade de queimar etapas aprendendo com a experiência dos outros. Imagine se eu não pesquisasse qual o melhor material de tributário e fosse estudando pelo primeiro material que me caísse nas mãos como milhares de concurseiros que prestarão o concurso do Ministério da Fazenda estão fazendo e ainda farão, simplesmente seria mais um dos que não têm muitas chances reais de sucesso nesse certame. E assim acontece com todas as matérias.

Só que pesquisar pelo melhor material baseando-se nas opiniões de concurseiros exige algum cuidado, claro.

1º - Nunca confie na primeira leva de opiniões. Procure opiniões diversas.

2º - Cruze as opiniões que encontrar, tenha certeza de que haja um certo contento em torno de algum livro e/ou autor ser o melhor para determinada matéria.

3º - Cuidado com opiniões muito antigas. O melhor livro e/ou autor para determinada matéria em 1998 não é, necessariamente, o melhor em 2008.

4º - Muita atenção às edições dos livros e datas de lançamento de apostilas e aulas em PDF. Pode acontecer de um autor hoje considerado ótimo, não ter sido nada bom quando escreveu o livro que você conseguiu dele e que foi lançado há cinco anos atrás.

Resumo da ópera – Estudar para concursos exige planejamento e pesquisar pelo melhor material de estudo é parte desse planejamento. E é aquela velha história, concurseiro que não planeja, está pedindo para ser derrotado na guerra dos concursos públicos.

Charles Dias é o Concurseiro Solitário.

IMPORTANTE - Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.

———«»———«»———«»———

CLIPE DO DIA



Acho que já postei esse clipe, mas não importa, a música é muito legal e vale um repeteco se for o caso ... apesar do clipe ser muito ruim. "Boyz" com M.I.A.


4 Response to "Ferramenta para o estudo eficiente"

  1. cristal says:

    Olá Charles, esse concurso do MF vai ser bem difícil mesmo. Eu tenho achado Direito Previdênciário mais chato que o Tributário. Vc já começou a estudar tributário?? O que achou??

    Sempre leio seus posts e os acho muito legais, sempre me identifico muito com as situações.

    Bons estudos!!

    Flávia says:

    Charles,

    Tb vou prestar este concurso aqui no RJ. É o meu primeiro contato com a matéria também, mas, a achei bastante interessante.

    Como já havia gasto muito dinheiro com livros no mês passado, não pude comprar um livro de tributário esse mês, me restou a alternativa de comprar uma apostila específica para este concurso.
    Marquei o que vai cair (pois a apostila estava com matéria antes da retificação), dei a lida geral, a segunda leitura mais aprofundada (rs)e o resumo.
    Somente no resumo pude perceber a diferença entre depósito e Cconsignação em pagamento, remissão e anistia, certidões negativas e positivas com mesmo efeito, etc.
    Separei as provas desta matéria, mas ainda não fiz.
    O que senti dificuldade é que tudo parece igual. O título muda e o assunto continua o mesmo. Mas através de um fluxograma que eu fiz da matéria inteira, pude perceber o que diferencia cada assunto e o que está subordinado a quem/o que.
    Enfim, foi uma forma de ter uma visão geral sobre a matéria e entender as especificações de cada um dos tópicos.
    Pretendo fazer o mesmo com Previdenciário.

    Boa sorte para vc e saiba q não é o único a ter dificuldades com esta matéria... ;o)

    Camisa 9 says:

    "Pois é" já postou, ano passado :D, mas a música é boa sim!

    Éric

    Camisa 9 says:

    É...como diria e bom e velho amigo Capitão Nascimento : - Estrategy, do latim...

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme | Blogger Templates | Low Interest Credit Cards