COLUNA DA THAÍS - Alegoria da caverna

Existe uma párabola de Platão que acho muito interessante. Dependendo do seu ponto de vista e da sua situação atual, você pode dar diversas interpretações. Logo abaixo você a lerá (Não é a versão original que está na obra "A República" (Início do Livro VII) de Platão e, sim, um resumo, em seguida a minha visão dela.

“Imaginemos um muro bem alto separando o mundo externo e uma caverna. Na caverna existe uma fresta por onde passa um feixe de luz exterior. No interior da caverna permanecem seres humanos, que nasceram e cresceram ali.

Eles ficam de costas para a entrada, acorrentados, sem poder locomover-se, forçados a olhar somente a parede do fundo da caverna, onde são projetadas sombras de outros homens que, além do muro, mantêm acesa uma fogueira.

Os prisioneiros julgam que essas sombras sejam a realidade.

Um dos prisioneiros decide abandonar essa condição e fabrica um instrumento com o qual quebra os grilhões. Aos poucos vai se movendo e avança na direção do muro e o escala, com dificuldade enfrenta os obstáculos que encontra e sai da caverna, descobrindo não apenas que as sombras eram feitas por homens como ele, mais além todo o mundo e a natureza.”

Qualquer semelhança não é mera coincidência! (risos)

Como disse antes, é um texto filósofico ao qual podem ser dadas diferentes interpretações ,todas ligadas a essse tipo de atitude: a vontade de quebrar barreiras e paradigmas, dar lugar ao novo, conhecer e se aventurar no desconhecido.

Particularmente, sinto-me dentro da caverna. Não que eu não queira sair! Pelo contrário, estou contando os dias para ver o sol e o que há de bom fora dela. Acontece que o me prende aqui dentro é justamente a preparação para saída.

Assim que vejo minha vida concurseira. Estou dentro da montanha de livros e conhecimento, preparando-me para a quebra do muro das provas para finalmente sair e reencontrar o mundo novo que é o serviço público com sua estabilidade.

Acredito que tudo em nossa vida é desta maneira! Estamos aprisionados em nossa condição – podendo ser boa ou não- e dependendo de como for, tentaremos quebrar os muros para alcançar o novo. Apesar de me sentir dentro da caverna por não ter alcançado meu objetivo maior, devo lembrar-me que já saí de outra caverna uma vez, quando decidi que não queria um emprego privado por mais que a sociedade me cobrasse isso.

Muitos obstáculos e dificuldades são encontradas durante essa saída, afinal, não é fácil mudar. Não é do dia pra noite que conseguimos desmoronar o muro do comodismo e tentar algo novo. Somos julgados por acreditar que há muito mais do que realmente existe e por não nos contentarmos com o que nos é oferecido.

Resumo da Ópera - Só você é capaz de vencer seus medos e romper com o comum! “Quem quer fazer alguma coisa, encontra um meio. Quem não quer fazer nada sempre encontra uma desculpa”.

Thaís Dias é uma concurseira que não quer ficar a vida toda trancafiada dentro de uma caverna e luta por isso com unhas e dentes.

IMPORTANTE - Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.

———«»———«»———«»———

CLIPE DO DIA



Para deixar o sábado mais leve, uma música da trilha sonora do maravilho filme "Juno".

2 Response to "COLUNA DA THAÍS - Alegoria da caverna"

  1. Amiga!
    Lindo texto! Maravilhoso mesmo!
    Também fiz um desses nesse estilo... imagina se a gente combinasse, rsrsrs
    Bjuuss
    Fabi Pacheco

    Camisa 9 says:

    Muito bonito esse post! Também adorei a musica amiga!

    Bons estudos rumo ao "El Rei Sol"!

    Éric

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme | Blogger Templates | Low Interest Credit Cards