Em busca de um herói ...

Dúvidas, dúvidas e dúvidas ... a vida do concurseiro é pontilhada por dúvidas. Para dizer a verdade, nos tornamos concurseiros por conta de uma dúvida, “será que existem campos mais verdes no serviço público que nas áridas paragens da iniciativa privada?”. A partir da decisão de nos alistarmos na guerra dos concursos públicos, temos dúvidas sobre quais materiais usar, como estudar, que concursos prestar, se estudamos estudando direito, se seremos nomeados e tasca dúvidas, mais dúvidas e mais dúvidas.

Antes de qualquer coisa, é natural termos dúvidas. Faz parte de nossa caminhada, de nossa corrida, de nossa luta, chame como queira chamar. As dúvidas são obstáculos que quando transpomos nos torna mais fortes, mais espertos, mais preparados para os revezes que temos de enfrentar todos os dias de nossas vidas. Só que algumas vezes as dúvidas são maiores que nós e nos fazem nos sentirmos pequenininhos, fracos e impotentes. Sensação muito ruim, tenho de concordar. Nesses momentos o desespero bate e apelamos para um velha música dos Beatles para nos socorrer ...

I get by with a little help from my friends,
I'm gonna try with a little help from my friends,
I get high with a little help from my friends,
Yes I get by with a little help from my friends,
with a little help from my friends.

Tradução livre:

Conseguirei superar com uma pequena ajuda dos meus amigos,
Tentarei com uma pequena ajuda dos meus amigos,
Ficarei legal com uma pequena ajuda dos meus amigos,
Sim, superarei com uma pequena ajuda dos meus amigos,
Com uma pequena ajuda de meus amigos.

O problema é que tem gente que quer mais que uma simples ajuda para solucionar as dúvidas bravas que encontra em seu caminho, querem mais que um amigo disposto a ajudar. Tem gente que, simplesmente, quer um super amigo, um herói, que se disponha a resolver suas dúvidas como se elas fossem princesas, o problema o dragão e o amigo um cavaleiro em armadura prateada montado no cavalo branco dos desenhos animados da Disney.

Cômodo isso, não? Você tem uma dúvida, grita por socorro, um herói aparecesse do nada e o resolve, enquanto você fica observando de longe deitado numa rede na sombra tomando água de côco gelada.

Se isso acontece na guerra dos concursos públicos? Claro que acontece. Vocês não imaginam a quantidade de mensagens que recebemos semanalmente de gente pedindo “material mastigado”, análises de editais de concursos, apostilas e livros de primeira de graça e, principalmente, fórmulas mágicas de como ser aprovado em concursos públicos muito rápido estudando muito pouco.

Quem nos envia esses pedidos não querem “a little help from my friends”, não, querem é um herói e uma rede na sombra, porque é mais cômodo, dá menos dor de cabeça e não exige nenhum esforço ou suor.

Imaginem por um minuto que realmente encontramos uma fórmula mágica que permite que o cara estude de leve um mês e seja aprovado em qualquer concurso público. Certo, com isso matamos a etapa da preparação, da aprovação, da nomeação e da posse. O que acontecerá quando quem usar essa fórmula entrar em exercício e tiver de encarar o serviço público de cada dia? Será que será fácil? Tenho certeza de que não, afinal de contas, é um trabalho como qualquer outro, onde haverá chefe, colegas chatos, usuários mal humorados, dor nas costas, preocupações para entregar trabalhos chatos em prazos exíguos. Então esse cara fará o que? Não haverá um herói que faça seu trabalho diário enquanto ele fica em casa dormindo, não haverá amigos que façam isso, muito menos fórmulas mágicas que dêem conta da situação. Ou seja, o cara estará fodido!

Resumo da ópera – As dúvidas que enfrentamos hoje fazem parte do nosso preparo para quando entrar em exercício num cargo público. É como o treinamento de recrutas que os prepara para a guerra de verdade. Sem treinamento, o cara estará morto antes mesmo de ver o fim do primeiro combate real. É muito bom contar com a ajuda dos amigos, faça isso, procure seus amigos concurseiros para que o ajudem nessa luta, mas nada de querer um herói, não caia nessa armadilha.

Charles Dias, o Concurseiro Solitário.

——«»———«»———«»———

Clipe do dia



Como não podia deixar de ser, "With a little help from my friends" dos Beatles. O vídeo é bobinho, de um grupo de amigos fazendo tipo durante um passeio em New York ... mas as meninas são jeitosas, hehehe ... calma, concurseiras, há meninos no clipe, podem assistir.

COLUNA DO SOLITÁRIO CONCURSEIRO - A arte de mudar

“Se você fizer o que sempre fez, terá a resposta que sempre teve.”

Existe muito concurseiro por aí que estuda muito e, mesmo assim, não consegue sair da desclassificação ou da classificação muito alta. Tudo bem que o nível dos concursos está bem mais alto do que anos atrás, mas será essa a principal justificativa?

Certamente não. Muitos de nós estudamos todos os dias no mesmo horário, com o mesmo material, utilizando as mesmas técnicas e o resultado simplesmente não aparece. Colocar a culpa na concorrência, nas matérias iguais ou no nível da prova não é o caminho correto.

O problema em 99,99% das vezes está em nós mesmos. Em nossa capacidade de viver na mesmice ou na incapacidade de mudar diante de resultados iguais, principalmente quando eles são ruins.

Mudar neste caso é fundamental. Não dá para ficar na mesmice, colhendo os mesmos resultados enquanto o tempo passa. Quando falo em mudanças, não falo em aumentar a quantidade de estudos. Aliás, toda vez que o concurseiro acha que tem mudar, ele pensa logo que deve aumentar a quantidade de estudos. Não é bem assim. Falo sobre o comportamento do concurseiro diante dos estudos.

Se os seus resultados melhoram devagar ou simplesmente estão estagnados, mude! Há na internet várias técnicas de estudos, as livrarias estão abarrotadas de livros sobre aprendizagem eficiente e os materiais para concursos estão cada vez melhores. Corra atrás! Não fique parado esperando que o resultado apareça porque isso não irá acontecer se você continuar fazendo as mesmas coisas, do mesmo jeito.

A mudança que deve ser feita não é na quantidade do estudo e sim na qualidade do mesmo. Procure estudar de forma eficiente, se não der certo uma técnica, estude por outra, crie a sua. A mudança em seu comportamento só trará melhores resultados, isso porque acredito que mudamos sempre para melhor, ou pelo menos tentamos. Saia da mesmice, se os resultados não apareceram ainda, não é porque a prova precisa ser mais fácil ou os concorrentes mais fracos e sim porque você precisa mudar aquilo que te impede de obter êxito.

Resumo da Ópera - Vou repetir a frase que inicia este artigo: “Se você fizer o que sempre fez, terá a resposta que sempre teve.” Mudar faz parte da vida. Ela sempre será bem-vinda, ainda mais quando é para o nosso próprio bem. Ser servidor público é o sonho de muita gente, porém a maioria não está disposta a pagar o preço. Prefere ficar na mesmice, acreditando que um dia vai cair do céu. Faça diferente, mude seu comportamento. Os resultados aparecerão.

Tiago Gomes, um Solitário Concurseiro especialmente para o Concurseiro Solitário

——«»———«»———«»———

ATENÇÃO!!!

O Concurseiro Solitário é feito para você leitor. Sem a sua participação fica bem mais difícil. Por isso insistimos tanto nos comentários aos artigos. Não necessitamos apenas dos seus elogios, se não gostou, faça a sua crítica. Só assim poderemos melhorar os textos e os conteúdos. Falando nisso, daqui para o final do ano, terei o prazer de escrever mais 8 artigos e eu quero contar com a sua ajuda para escrever 7 deles. Portanto, preciso da sua sugestão. Mande agora um e-mail para concurseirosolitario@gmail.com e no campo assunto coloque SUGESTÃO. Escreva o assunto que você gostaria que virasse um artigo. As 7 melhores sugestões serão transformadas em artigos especiais e você poderá conferir toda quinta-feira aqui no Concurseiro Solitário. PARTICIPE!!!!

——«»———«»———«»———

Clipe do dia



Violinista ou percussionista? Sinceramente não sei. O certo é que Andy Mckee é referência naquilo que faz. Reconhecido internacionalmente pelo seu talento com o violão, Andy Mckee dedilha com ambas as mãos o braço do violão, lembra mais um pianista. Além disso, combina o toque das cordas com percussão na caixa do instrumento. Não é à toa que o seu vídeo da música "Drifting" foi visto mais de 17 milhões de vezes. O cara é fera!

CONCURSEIRA CONVIDADA - Fuja das Falsas Amizades Concurseiras!

Essa é a primeira vez que escrevo para o Concurseiro Solitário. Não podia deixar de compartilhar com os leitores desse Blog a experiência amarga que tive no último concurso público que prestei.

A primeira impressão que tive foi que cada vez mais a procura pela estabilidade e a tranqüilidade financeira está deturpando as verdadeiras escolhas. Onde estão os verdadeiros vocacionados para o serviço público? Não existem mais? É triste ver os concurseiros falando aos quatro cantos que embarcaram na nau concurseira apenas pelo incentivo financeiro. Na hora me passou pela cabeça: estudando tanto, uma hora essa gente passa, mas serão felizes aqueles que escolheram pelo retorno financeiro? Alguém parou para pensar que essa profissão será desempenhada até o final da vida, ou que seja, até a aposentadoria? Isso é um ponto muito importante a se considerar.

O outro ponto delicado que quero tocar, é que mesmo sendo uma concurseira experiente fui surpreendida com as “falsas amizades concurseiras”. Não sei se alguém já comentou por aqui, pois sou leitora nova do Blog, que temos que tomar o máximo de cuidado com essas amizades. No início elas parecem inofensivas, pessoas que se fazem de coitadinhas e ficam repetindo “Ai! Não tenho tempo para estudar!”. Aí, quando você vê, essas pessoas que “não têm tempo para estudar” encabeçar os primeiros lugares nos concursos que presta, você se pergunta “Mas como isso é possível? Essa pessoa não tinha tempo para estudar? Será que foi sorte?”

Nunca acreditei em sorte em concursos públicos e, sim, em muito estudo e disciplina. Analisando mais friamente a questão, caí de cara do meu castelinho de cristal na mais dura realidade. Na verdade, essas pessoas estão rachando de estudar, mas não querem compartilhar seu conhecimento com ninguém, muito menos com você. Como diz uma verdadeira amiga minha “eles querem saber de você, mas não querem ajudá-la!”. É verdade! Eles querem saber como você está estudando, se você já está “chegando lá”, mas não te ajudarão porque simplesmente o têm como um concorrente e não como um colega, um amigo. Por mais incrível que pareça, eles nos vêem como uma ameaça. Essas falsas amizades, no final, não nos trazem nada de bom. Muito pelo contrário, para quem acredita nisso, podem até “sugar” nossa energia e vitalidade.

Lamentavelmente, essas pessoas estão por toda parte. Até mesmo no seu grupo de estudos, como foi o meu caso. Meu conselho é que você fuja dessas pessoas! Qualquer semelhança com os “não vocacionados” que falei acima não é mera coincidência. A vontade de vencer sem qualquer limite, não importa se passando por cima de qualquer pessoa seja amigo ou não, no melhor esquema onde “os fins justificam os meios?”, deixam claro que essas pessoas não têm ética alguma. Não quero mais a companhia e falsa amizade dessas pessoas e acredito que você leitor também não, amigo concurseiro, então, tome muito cuidado com quem você anda, com suas amizades concurseiras.

RESUMO DA ÓPERA - Superando toda minha timidez, trouxe minha dura experiência para que os demais amigos do Blog fiquem avisados de que falsos amigos concurseiros existem e são muito mais comuns do que queremos acreditar. Não quero que vocês passem pelo que passei, uma decepção muito grande, uma verdadeira punhalada pelas costas. Embora eu ache que nosso pior concorrente seja nós mesmos, agora sei que temos de tomar cuidado com essas pessoas que só querem nos sugar, nos enganar e passar por cima de nós. Quando aprendemos a lidar conosco mesmos, com nossas limitações, nossos medos, nossas inseguranças e com as falsas amizades, estamos prontos para qualquer reprovação! Seja nos concursos públicos, seja na vida!

Andréia Araújo, uma concurseira curitibana lutando por um lugarzinho e contra as falsas amizades concurseiras.
———«»———«»———«»———

PERGUNTA DO DIA

Você já foi surpreendido por alguma "falsa amizade concurseira"? Já conheceu gente que se fazia de amiga no estudo para concursos públicos, mas que no final só queria algo de você, seja material de estudo, conhecimento ou sua tão sonhada vaga? Como você lidou com essas pessoas? O que acha delas? Seja sincero, abra seu coração!
Essa pergunta deve ser respondida em nossa comunidade no Orkut. Basta clicar no homenzinho ai em cima (você precisa estar conectado no Orkut em outra janela de navegador para ser levado à página de resposta).


COLUNA DA MALU - Você quer mesmo?

- Eu te avisei! Eu disse que não seria fácil!

- Ufa! Eu sei. Mas, não pensei que seria tão difícil assim! Não contava com todos esses reveses.

Alguma vez você já ouviu o diálogo acima? Talvez tenha ocorrido entre você e sua própria consciência. Talvez tenha sido entre você e outro concurseiro. E talvez você nunca tenha ouvido tal diálogo, mas pode ser que cedo ou tarde ele ocorra.

Alguém já te disse que seria fácil? Que seria só chegar lá e pegar? Alguém te disse que não iriam surgir contratempos? Se alguém te disse isso, mentiu para você! Se você pensou isso, se enganou!

Tenho outra novidade: os (a) namorados (a) podem te abandonar, seus amigos vão falar mal de você (seja na sua frente, seja pelas costas), sua família pode não te apoiar, seu dinheiro tem grande probabilidade de acabar. Os problemas não vão simplesmente deixar de existir. Pelo contrário, pode ser que se multipliquem.

Acho que tudo que eu disse não é novidade para ninguém. Pelo menos, não para os concurseiros sérios. Todo mundo está careca de saber o quanto é difícil. Mas, ultimamente, tenho encontrado muitos concurseiros (tanto no mundo real quanto no virtual) que estão total e fatalmente desestimulados. E não estou falando de falsos concurseiros ou fazedores de concurso. Estou falando dos concurseiros sérios, comprometidos, mas que estão totalmente desmotivados. Estão colecionando problemas e fazendo listinhas com eles: não tenho local adequado para estudar, não tenho grana, minha família não me apóia, meu namorado me deixou, etc etc.

Eu sei que não somos super-heróis e que é normal passarmos por momentos de desânimo. Mas, não podemos perder nosso foco e nos afogarmos em um mar de lamentações. Circunstâncias adversas sempre existiram e sempre existirão. A questão é: o quanto você quer? O quanto você quer ver o seu sonho realizado?

Você realmente quer? Então, não pare de lutar. Não perca o foco. Não desista! Se você realmente quer, deixe de lado as desculpas. Não ponha seu foco nos problemas, mas no seu sonho.

Você, que é um concurseiro sério, que vem lutando há tanto tempo, com tanta dedicação e empenho, que já chegou até aqui, não pode deixar tudo acabar agora. Não pode simplesmente desistir. Isso seria suicídio concurseiro. E você não é covarde. Você é guerreiro, vai continuar lutando, apesar dos pesares. Você vai conseguir.

Certa vez uma pessoa me perguntou:

- É isso mesmo que você quer? Esse é o seu sonho?

Respondi:

- Sim, é isso mesmo.

Ao que a pessoa retrucou:

- Então, deixe de lamúrias e faça acontecer. Só você pode fazer seu sonho se tornar realidade!

Resumo da Ópera – Você quer mesmo? Levante a cabeça e lute! Esqueça do resto. Você pode conseguir. Se realmente quiser.

Malu Heli, Concurseira do Paraíso das Águas.

——«»———«»———«»———

A T E N Ç Ã O

- Não deixem de responder à enquete da semana, por favor. É rapidinho. Está na coluna fixa da direita, lá no comecinho.

- Procuramos concurseiros que tenho Skype e que estejam disposto a participar de uma atividade experimental do blog, coisa de noventa minutos. Interessados mandem seu email de contato, por favor.

——«»———«»———«»———

Clipe do dia



Shake, Shake, Shake (Shake Your Booty) - KC and The Sunshine Band

O fim dos concursos públicos ... foi bom enquanto durou

É, gente, a festa acabou!

Essa noite nosso querido Presidente da República fará um comunicado em rede nacional de rádio e televisão anunciando que devido à crise financeira que assola impiedosamente todo o mundo, estarão suspensos todos e quaisquer concursos públicos em qualquer esfera de governo no ano de 2009.

Isso mesmo, gente, nada de concursos ano que vem, niet, nadie, finito, acabou!

Foi muito bom estamos juntos ao longo desse ano lutando por uma vaga no serviço público, mas diante desse iminente anúncio catastrófico, esse blog não terá razão de existir ao longo do próximo ano. Então, gente, nosso fim está próximo ... fim do blog e nosso fim como concurseiros, pelo menos até 2010.

CALMA AÍ ... !!!

Vocês acreditaram nessa balela? Por um segundo acharam mesmo que o Lula anunciaria alguma proibição de concursos públicos para 2009? Sinceramente, espero que tenham sacado o absurdo da situação.

Essas duas últimas semanas foram prolíficas em boatos apocalípticos no universo dos concursos públicos e tudo gira em torno da mesma coisa, de que por conta da crise financeira internacional o governo reduzirá drasticamente o número de novas contratações de servidores públicos ano que vem e que, por isso, haverá muito menos concursos públicos.

O interessante é que no final do ano passado, com todo aquele rolo da votação pela não prorrogação da CPMF, o catastrofismo e o pânico eram os mesmos. Quando a votação pelo fim da CPMF foi vencedora, então, daí que os famosos “profetas do apocalipse” fizeram a festa e foram seguidos por uma multidão de concurseiros ensandecidos que achavam que era o fim do mundo, de suas esperanças e sonhos.

Sabe o que aconteceu esse ano? Houve muitos concursos públicos, mais que em 2007. No que o fim da CPMF afetou as contratações do governo? Praticamente em nada, a não ser numa leve retração de contratações nos primeiros meses do ano, que foi amplamente compensada nos meses seguintes.

O que acontecerá ano que vem? Bem, se seu soubesse não precisaria nem estudar mais para concursos, bastava prever os número de uma Megasena ... e nem precisaria ser das acumuladas! Mas de uma coisa tenho certeza, pode até não haver tantos concursos como esse ano, mas mesmo assim haverá muitos concursos e quem estiver estudando sério e forte, terá sua vaga garantida. Para apoiar essa minha crença, darei dois motivos claros e inequívocos que o Governo está considerando muito fortemente.

Motivo prático – A administração publica anda bastante enxuta no geral, carente de servidores em muitos setores e poderes. Ao longo dos meses, milhares de servidores aposentam, são exonerados e demitidos, pedem exoneração, são promovidos, morrem e por aí vai. Simplesmente é impossível o governo diminuir drasticamente a contratação de novos servidores ao longo de todo um ano sem comprometer gravemente o funcionamento da máquina estatal.

Motivo político – O PT e o Presidente Lula pessoalmente levaram uma lavada nas eleições municipais em todo o país, perdendo a eleição em segundo turno em capitais muito importantes como São Paulo, Porto Alegre e Salvador. Esse episódio é um problema para os sonhos de nosso presidente de eleger seu sucessor e um recado para o partido de que as eleições para o Congresso lhe poderão ser amargas. Diante desse quadro duplamente preocupante e sabendo que ampla parcela dos servidores públicos lhe formam a base tradicional de apoio, nosso Presidente não se indisporá com essa forte categoria diminuindo drasticamente as novas contratações de servidores, o que significaria aumento da carga de trabalho dos servidores em atividade em um momento complicado.

Resumo da ópera – Pode haver, sim, uma diminuição no número de concursos públicos e de vagas oferecidas nos primeiros meses do próximo ano, mas será pouca coisa e logo passará, exatamente como esse ano. Assim, só entra em desespero quem não tem coisa melhor para fazer, ou seja, estudar seriamente para enfrentar a guerra dos concursos públicos, afinal de contas, concurseiro sério não está nem aí para esse catastrofismo inconseqüente todo e ponto final.

Charles Dias é o Concurseiro Solitário.

——«»———«»———«»———

Clipe do dia



Nada melhor que beldades para começar a semana com bastante animação ... para os concurseiros é um lembrete do que os aguarda depois da posse ... para as concurseiras é um lembrete de como elas ficarão depois da posse. De Alex Gaudino, "Watch Out".

COLUNA DA CONCURSEIRA CRÔNICA - La crisis

Depois de um bom par de anos em que vivemos em relativa estabilidade, fato é que a crise está aí pra todo mundo ver. No mundo globalizado em que hoje vivemos, o potencial de propagação da instabilidade econômica é devastador; se sofrem os países mais ricos, sofrem mais ainda os mais pobres. Algumas semanas de burburinho e já vemos manobras internas e externas para resguardar o sistema financeiro, demissões em massa, redução do crédito. É o fim do longo feriado.

Embora estejamos muito concentrados em nossa meta concurseira, olhar o mundo real de forma atenta e compromissada é tão inevitável quanto imprescindível. Embora a Administração Pública pague bons salários, os serventuários não formam uma categoria "blindada" em relação ao mundo. Perdas salariais e sofrimento com a elevação do nível de preços doem no bolso de estatutários e celetistas. Como dizia o velho ditado, "pau que dá em Chico, dá em Francisco".

Mas a grande questão que ronda o universo concurseiro neste momento é: haverá retração nos concursos em função da crise que está em vias de se instalar? O que eu posso dizer, do alto dos meus 28 anos, uma "década perdida" (como ficaram conhecidos os anos 80), cinco moedas (cruzeiro-cruzado-cruzado novo-cruzeiro-real) e pais empregados públicos que passaram por pelo menos meia dúzia de crises, é que... respostas definitivas, nesse momento, seriam precipitadas. Isso não nos impede, contudo, de fazer algumas projeções – até para que possamos preparar o espírito para o melhor ou o pior.

Seria hipocrisia minha dizer que certamente teremos tantos concursos nos próximos dois anos como tivemos nesse pródigo 2008. Se a crise chega, a arrecadação do Estado diminui; a criação de novos cargos, ainda que necessária, fica comprometida. Prova disso é que nos últimos dias já tivemos notícias de concursos suspensos e que-tais. Até aí, tudo bem. A questão é como você vai reverter essa constatação em benefício próprio.

Se você não for um concurseiro sério, vai cair na esparrela de usar a escusa da crise para largar de mão o sonho de ocupar um cargo público. Desculpas possíveis? Posso listar: perdi o emprego e não posso pagar cursinho; não tem quase nenhum órgão abrindo inscrição; estão chamando pouca gente aprovada; blábláblás do gênero. Cada argumento desses, bem sabemos, pode ser derrubado por uma única pergunta: de QUANTOS CARGOS PÚBLICOS VOCÊ PRECISA???

UM SÓ!

Então, lembre-se de que, até nos piores momentos da nossa combalida economia nacional, o Estado contratou fiscais, policiais, técnicos, analistas etc., e não será agora que vai ser diferente. Cá pra nós: o bom concurseiro – como somos eu e você – ainda pode tirar uma boa casquinha do desânimo dos pára-quedistas de plantão. É hora de lembrar que nas piores crises estão também as maiores oportunidades.

Resumo da ópera - A crise é real e não podemos tapar o sol com a peneira. Entretanto, como bons brasileiros que somos, sobreviveremos com alguma dignidade. Palavra de quem, como muitos aqui, comeu bifes comprados com ágio quando criança.

Flavia Crespo é a Concurseira Crônica.

COLUNA DA RAQUEL SOLITÁRIA - Motivação: combustível para a alma

Olá, concurseiros. Como de costume “eu mordo e depois assopro” (risos). Semana passada, eu falei das más companhias concurseiras. Hoje vou falar das coisas que podemos fazer para nos deixar felizes e motivados.

Alguém já deve ter lhes dito o quão importante é manter-se conectado a um sonho, um objetivo. Há alguns concurseiros e ex-concurseiros que colam gravuras em painéis com coisas que desejam adquirir. Outros vão assistir a posse de alguma pessoa nomeada e outros vão ao local de trabalho. Tenho um amigo que foi assistir a posse da prima como juíza de Direito.

Como eu já tive oportunidade de dizer em algum artigo no passado, eu estou nessa luta por vocação. Doa a quem doer (muita gente critica), eu desejo e serei militar. E eu estou cada vez mais convencida de que o meu lugar é na carreira militar. Isso porque eu aproveitei um evento que acontece todo ano na escola em que desejo estudar para ir conhecê-la. Faltei as aulas da manhã do cursinho semanal que faço por causa do evento, pois a escola só abre para o público nessa data, uma vez ao ano. Foi com dor no coração que faltei aula, mas valeu muito a pena.

Cheguei lá em cedo, andei por todo Distrito Naval até chegar ao porto para pegar o Aviso (embarcação) que leva a ilha onde está sediada a escola. Atravessei de barco e fiquei admirando a paisagem. O tempo estava nublado, mas para mim era tudo lindo demais. Esses momentos estão congelados na minha retina e na minha mente.


Quando aportei na escola, tratei de tirar muitas fotos nos lugares mais bonitos de lá, pois é uma escola muito bem cuidada. Tirei fotos das aves da ilha. Simplesmente, foi um passeio agradabilíssimo. Depois, o sol resolveu aparecer e todas as fardas femininas ficaram mais alvas e lindas ainda. Teve bandinha tocando, exposição de artigos militares, helicóptero para as pessoas tirarem fotos ao lado dele. Eu tirei fotos como eu pude, como essas aí.

A sensação eu não consigo explicar, traduzir em palavras. Eu cheguei lá, vi os alunos felizes, uns conversando e organizando o evento, outros competindo e pensei que lá é o meu lugar. Eu também sorrirei como eles quando for empossada. Constatei que um sonho não tem preço. Pode haver salários maiores em outros cargos, outros órgãos e tribunais, mas realizar meu sonho é um salário indireto. Eu quero ficar linda de farda como as mulheres que estavam lá. Que roupa mais alinhada!


Resumo da Ópera - Se você tem um sonho, dê asas a sua imaginação. Estimule-se a sonhar cada vez mais para os bons e maus momentos da sua luta. Se não tem, trate de sonhar, pois é muito útil. É o combustível para buscar com mais fervor a sua vitória. Eu, por exemplo, agora estou estudando com muito mais gás que antes.

Alguns avisos:

* Não deixe de assinar nossa newsletter, pois essa semana estarei enviando um simulado exclusivo, elaborado por mim, para nossos assinantes. Basta enviar um email em branco (sem nada no campo de assunto ou no corpo do email) para concurseirosolitario-subscribe@yahoogrupos.com.br

* Se desejar mandar dúvidas e sugestões, meu e-mail é raquel.solitaria@gmail.com

Raquel Solitária, uma legítima concurseira solitária.

——«»———«»———«»———

Música do Dia



A música de hoje é, seguindo a sugestão da amiga Flavia Crespo, uma instrumental do disco "Chico Canta" de Chico Buarque de Hollanda.

O que eles querem dizer com isso?

Gente, não tenho a mínima idéia de como são escolhidas as matérias e tópicos a serem cobrados em provas de concursos públicos, mas já me convenci que a clareza não é uma das preocupações dos responsáveis por essa escolha tão delicada.

Explico.

Tecnicamente editais de concursos públicos deveriam ser claros e precisos no tocante às matérias e tópicos que serão cobrados em prova, algo do tipo:

Matéria: Direito Constitucional

Tópicos: Direitos Fundamentais, Controle de Constitucionalidade, Processo Legislativo, etc.

Notem que nesse exemplo é claro que deverá ser estudado. Não há complicação alguma aqui, muito pelo contrário.

Ok que isso acontece muitas vezes, mas não é suficiente, pois essa clareza deveria acontecer SEMPRE. Isso impediria que encontrássemos coisas desse tipo em editais de concursos públicos:

Só matérias, sem especificação de tópicos

Matéria: Ciência Política

Porra, é para estudar tudo o que há dessa matéria? Se for, não vai dar, pois há muita, mas muita coisa mesmo dessa matéria, que, inclusive, é mais que matéria, é curso de graduação, pós, mestrado, doutorado e pós doutorado!

Matérias e tópicos genéricos

Matéria: Direito Constitucional

Tópicos: Noções de Direito Constitucional.

Mais uma vez ... porra, é para estudar noções dessa matéria com que nível de profundidade? Noções pode ser tanto 8 quanto 80, pode ser um livretinho explicando o que é a Constituição, qual sua função e tal, quanto o completíssimo Direito Constitucional Descomplicado do Vincente Paulo e Alexandrino.

Matérias e tópicos que não batem

Matéria: Direito Administrativo

Tópicos: Direitos fundamentais, Administração Pública, Evolução das Formas de Governo, Competência Fiscal.

Novamente ... porra, o povo dessa banca bebeu antes de preparar esse edital? Só pode ... uma roda de pagode regada à caipirinha antes de se sentarem para preparar o edital. Como que um cristão concurseiro irá conseguir estudar assim?

Olha, gente, tem hora que essas coisas cansam. Alguém poderia me explicar como empresas especializadas em concursos, tecnicamente centros de excelência no assunto, ainda comentem erros em editais, tendo de lançar editais retificadores, erros em provas, tendo de anular questões, erros em gabaritos, tendo de relançar gabaritos, erros aqui, erros ali? Não dá uma impressão ruim de que é tudo feito “nas coxas”, sem cuidado, de forma amadora? Não é a toa que um amigo concurseiro uma vez disse algo assim ... “acho que quem cuida dessa parte são os estagiários”. O pior é que essas empresas são pagar pela Administração Pública para realizar esse trabalho, e muito bem pagas, diga-se de passagem.

Resumo da ópera – Por coisas assim que é muito, mas muito importante mesmo ler o edital com todo cuidado e atenção. Dúvida quanto a matérias e tópicos? Pergunte para amigos concurseiros, para professores de cursinho, em fóruns e comunidades concurseiras. O que não pode acontecer é de você ficar com dúvidas, não estudar direito e acabar se ferrando nos concursos por conta isso.

——«»———«»———«»———

Pergunda do dia

O que vocês fazem quando o edital está confuso? Quando são listadas matérias genéricas, tópicos genéricos, matérias e tópicos que não batem ... enfim ... quando você fica perdido sem saber direito o que deve estudar e com que profundidade? Porque vocês acham que as bancas são tão pouco cuidadosas com isso e não prezam nem um pouco pela clareza, afinal de contas são empresas especializadas nisso e deveriam fazer um bom trabalho.


——«»———«»———«»———

Last but not least ...

Comecei a estudar para concurso há um ano, logo após a conclusão da faculdade de Direito. Naquela época estava mais preocupada com a prova do Exame de Ordem. Foi apenas em janeiro de 2008, após a primeira fase da prova da OAB, que realmente comecei a me preocupar em estudar para concursos. Mas, não tinha a menor noção de nada. E como toda concurseira iniciante achava que seria aprovada no primeiro concurso. Claro que as coisas não aconteceram dessa forma.

Foi mais ou menos em março desse ano que ouvi falar do William Douglas e em busca de informações a respeito do autor e de seus livros, entrei em uma comunidade no Orkut dedicada a ele.

Lembro-me desse dia como se fosse hoje. Lá na comunidade do William Douglas, tinha um post de uma concurseira perguntando sobre como vencer a preguiça. Como preguiça era algo que me atrapalhava muito, eu resolvi ler o tal post. E nele tinha uma resposta simplesmente incrível e bem direta de um rapaz chamado Charles. E lá ele deixou o endereço do blog. Curiosa do jeito que eu sou e, simplesmente sem ter nenhuma noção de como estudar para concursos, entrei logo no blog. E o que posso dizer? Simplesmente adorei! E me viciei! Todo dia, eu entrava no blog para ler os artigos. Lembro que o primeiro artigo que li falava sobre as coisas inacreditáveis que os concurseiros levam para lanchar no dia da prova. Ri horrores com aquele artigo. E como adorei, voltei para ler todos os artigos publicados até então.

Pouco tempo depois o Charles lançou um convite aos leitores para enviar artigos para o blog. Confesso que tive muita vontade, mas como sou muito tímida não enviei. E pensei que milhares de pessoas mandariam e o meu jamais seria escolhida. Eu era tão envergonhada que nem tinha coragem de responder as perguntas no blog ou de fazer alguma comentário. Apenas algum tempo depois comecei a participar mais do blog.

E foi assim. Acompanhava todos os dias aquele blog, que se tornou uma terapia diária, uma dose de motivação imensurável nos meus estudos. Enfim, o blog era meu melhor amigo concurseiro. E o mais incrível era que quando eu tinha uma dúvida ou desejava saber mais sobre determinado assunto, aparecia um artigo lá, sem eu nem mesmo ter pedido. Podem me achar louca, mas parecia que o blog era gente de verdade. Atendia os meus desejos (heheehe....acho que estou ficando louca mesmo). Acompanhei o crescimento do Concurseiro Solitário passo a passo. Vi cada um dos redatores passarem de leitores convidados a redatores fixos. Aliás, vibrei com cada um deles quando ganharam suas colunas fixas. Simplesmente, adoro o jeito que todos escrevem. Ficava impressionada com tamanha habilidade para escrever, para colocar no papel tudo aquilo que eu sentia.

Até que, mais ou menos em julho desse ano, o Charles me convidou para ajudar o Tiago com a Newsletter (Aproveitando para pedir desculpas ao Tiago por nunca mais ter mandado nenhuma notícia. Desculpa, Tiagooo!!). Eu aceitei o convite e logo depois fui convidada para escrever um artigo. Ah, eu gelei nessa hora! Eu? Escrevendo um artigo? Mas, logo eu? Ah, gente, eu sempre gostei de escrever, mas nunca de mostrar para ninguém. Não sou segura o suficiente para achar que escrevo bem. Mas, resolvi aceitar o convite. Afinal, apenas um artigo, que mal teria nisso? Era só um, pensava eu, inocentemente! Hehehe...Escrevi o primeiro, recebi o convite para o segundo e junto com o convite para o terceiro veio o convite para participar com uma coluna fixa no blog. Aproveito também para informar que fizeram um teste surpresa comigo sem nem me avisar que estava sendo testada! Quanta maldade!!! Hehehehe...Ainda bem que consegui passar. Quando o convite para participar do blog foi feito eu gelei mais uma vez. Acho que fiquei muito vermelha! Mas, decidi aceitar. Claro que não me sentia, como ainda não me sinto preparada como os outros redatores para escrever, mas faço o meu melhor.

Resumo da Ópera – Escrever para este blog é uma terapia. Com toda certeza, me ajuda muito e faz uma grande diferença em minha vida. E o melhor de tudo isso, foi a incrível oportunidade de conhecer pessoas maravilhosas, como Charles, Raquel, Flávia, Tiago e Fabi, além de poder conhecer muitos de vocês, leitores, gente como eu, que passa pelos mesmo apertos, mas não desiste nunca. Eita, povo teimoso da poxa! Aos poucos estou me soltando mais, porém a timidez ainda fala mais alto. A insegurança diminuiu um pouco. E quem sabe um dia eu consiga escrever tão bem quanto os meus amigos redatores, né?

Malu Heli, Concurseira do Paraíso das Águas, perdendo um pouco da timidez para falar um pouquinho da sua história no Concurseiro Solitário.




COLUNA DO SOLITÁRIO CONCURSEIRO - Guia dos desesperados: TRT-BA

O que fazer restando apenas 15 dias de estudos para o aguardado concurso do TRT-BA? Uns estão contando os dias para que chegue logo a prova, outros fariam de tudo para que tivesse um pouco mais de tempo. O certo é que bate um desespero na maioria dos candidatos. Tempo, conteúdo, ansiedade e o nervosismo estão entre os causadores dessa ameaça. Entretanto, o tipo de desespero varia conforme o tipo de candidato. Sim, há os que estão preparados, os quase preparados, os sem noção e os concurseiros de primeira viagem. Para cada um desses há um tipo de reação e também um tipo de preparação pré-prova. Falando nisso, esta é a nossa conversa de hoje. Como se preparar para o TRT Bahia de acordo com o seu biotipo.

Antes de começar preciso contar uma notícia. Não sei se você já sabe, mas corre na Câmara dos Deputados um projeto que cria 403 cargos (294 para Analistas e 109 para Técnicos) no TRT baiano. Portanto, não dê a mínima para o Cadastro de Reserva. Muitas convocações ocorrerão durante a validade do concurso. Viu meu rei??

Como se sabe, a organizadora é o Cespe/UnB, isso significa que a prova terá muita interpretação das leis e muita história. Se você vinha se preparando para provas da FCC e outras bancas, esqueça! O buraco é mais embaixo e a prova pedirá sua total atenção. Até porque uma questão marcada errada no gabarito anulará uma questão certa. Ou seja, a banca vai tirar aquele ponto conquistado com muito suor se você pisar na bola. Cruel não?!

Pois bem, se você for bem nas 120 questões que lhe esperam e ficar entre os 200 primeiros (me refiro ao cargo de Técnico Judiciário – Área Administrativa) fará uma prova prática de Informática. Cuidado! Não é prova de digitação. Você terá que elaborar uma planilha no Excel, que deverá ser convertida em uma tabela para uso no Word e enviá-lo Outlook. Detalhe: a banca não dá moleza, tem que saber.

Tá bom... tá bom... nem fez a prova ainda e eu já estou falando da prova prática. Tudo bem. Vamos voltar à prova do concurso. Que tal analisar o conteúdo? Ótimo não é? Então farei uma análise do conteúdo de Técnico Administrativo de acordo com a banca:

Português: as provas são bem elaboras. O foco está na interpretação do texto, inclusive em questões que abordam a gramática. Ir bem em uma prova do Cespe desta matéria, significa pontos preciosos para a prova como um todo.

Atualidades: raramente é cobrado algo muito atual, porém, se o candidato lê com freqüência e está antenado com o que acontece no mundo não terá dificuldades. Em algumas provas a banca embola a matéria com português, mais parece interpretação do texto do que propriamente o conteúdo de atualidades.

Raciocínio Lógico: esqueça o raciocínio cobrado por outras bancas, cheios de desenhos. A prova é basicamente baseada nas proposições (E; OU; SE, ENTÃO; SE E SOMENTE SE). Além disso teremos itens sobre Tautologia, com certeza estará na prova.

Processual do Trabalho: essa matéria, quando cobrada em TRT´s, costuma ser a pedra no sapato dos candidatos. Além do mais quando é cobrado também Processual Civil. O direito processual trabalhista tem como fonte subsidiária o processo civil, então muita coisa não é encontrada na CLT. Ir bem nessa matéria significa boas chances de sair na frente de outros candidatos. Preste atenção na doutrina e nas súmulas.

Direito do Trabalho: a matéria em si é bem tranqüila, salvo alguns pontos que requer mais atenção. A banca não costuma cobrar profundamente o assunto até porque não tem como ir além do que está na CLT. Pra falar a verdade, devido a proximidade com o cotidiano de milhões de brasileiros, todo mundo sabe um pouco sobre o assunto. É até gostoso estudar a matéria.

Processual Civil: aqui está uma das matérias mais difíceis de ser estudada. Se a banca for pela lógica, não vai cobrar além do trivial. Se sair da linha, pode atrapalhar a vida de todo mundo. A matéria é rica em pequenos detalhes e por mais tempo que o candidato tenha, não tem como esmiuçar tudo. Sem querer amedrontar, mas essa é a matéria mais difícil do concurso pois se a banca não cobrar o basicão, a coisa pode ficar feia pro lado de 99% dos candidatos. Lembrando: mesmo que o CESPE utilize a lei seca, não espere encontrar a lei como ela é pois a banca utiliza muitos sinônimos em suas questões de lei seca.

Direito Administrativo e Constitucional: matérias básicas de qualquer concurso, a banca cobra muito a interpretação da lei. As questões contam muita história, muitas vezes para atrapalhar o raciocínio do candidato. Do assunto cobrado, qualquer coisa pode cair, não tem como apontar para um ou outro conteúdo.

Regimento Interno: não tem muito o que dizer. A banca explora a lei seca. Nos últimos concursos realizados pelo CESPE, não foi cobrado muito regimento, foram poucos itens. Entretanto, não dá pra saber quantos itens serão cobrados. O jeito é estudar todo o regimento e estar preparado.

É impossível escrever um guia de véspera do concurso generalizado. Passado algum tempo depois do edital ter saído, cada candidato encontra-se em um nível de estudos. Seria como passar o mesmo remédio para todos os pacientes de um hospital. Uns teriam sua enfermidade resolvida, porém outros poderiam até vim a óbito devido à rejeição ao remédio. Portanto, vamos dar alguns exemplos de candidatos, espero que se encaixe em um deles e consiga chegar ao seu objetivo no dia 9 de novembro.

Fiz todos os concursos para TRT esse ano, porém, não farei o concurso do TRT-SP dia 16/11: amigo, essa é a sua última chance do ano. Desde o dia 12/10 (prova do TRT-GO) você só precisava focar os seus estudos no estilo CESPE e nas matérias que não caíram nos outros concursos, ou seja, Processual Civil e Regimento Interno. Você tem que estar com o restante na ponta da língua. Esse tempo restante deve ser para revisão das outras matérias e aprofundamento de P. Civil e Regimento. Você tem tempo suficiente para chegar na prova bem preparado.

Fiz todos os concursos para TRT esse ano e farei a prova do TRT-SP: você tem grandes desafios pela frente, mas lembre-se que as bancas são diferentes e a forma como são cobradas as questões também. Para o TRT-BA você terá duas matérias que não serão cobradas no TRT-SP. Então, foca os seus estudos nessa matéria e na semana seguinte, estuda Informática e faça a revisão das outras matérias para o TRT-SP. Não perca tempo pois será tudo muito corrido.

Não fiz nenhum TRT, mas resolvi estudar para este concurso assim que saiu o edital: ótimo. Se você vem estudando forte para este concurso, não significa que tenha menos chances do que o que fez as outras provas, nada disso. Este é um concurso feito por outra banca e totalmente diferente do que seu concorrente fez para os outros TRT´s. A sua preparação dedicada pode lhe render uma boa colocação neste concurso. Para isso, procure revisar a matéria neste tempo que falta. Não é hora do desespero e sim de aparar as arestas.

Vou fazer o concurso do TRT-BA, tenho uma boa base nas demais matérias, porém não tive tempo de estudar as matérias específicas como Processo Civil, P. Trabalho e Regimento: se você tem uma boa base não pode jogar este concurso fora. Dedique-se, nesse tempo, às matérias que você não teve tempo de estudar. Não estude mais ou menos. Dedique-se de verdade pois há tempo de ver. Vai ser difícil, mas com uma boa dose de determinação você pode chegar lá. Procure resumos com o pessoal que você sabe que está estudando, tente fazer exercícios. Utilize todas as armas que dispor. Não olhe para o tempo, apenas dê o seu melhor.

Esse é o meu primeiro concurso e não tive tempo de estudar: nesse caso estamos diante de uma missão impossível ou quase. O conteúdo é extenso e o concurso não é de brincadeira. Mesmo assim, há como se sair bem em uma prova dessas estudando 15 dias. Neste caso, estude português, direito do trabalho, constitucional e administrativo. Corra atrás de vários resumos e aprenda algumas técnicas de chute. Não garanto a aprovação, mas o seu estudo dará base para outros concursos e você ainda ficará na frente de muita gente boa que estudou mas ficou nervoso na hora da prova. Se por acaso passar no concurso, vá correndo e joga na Mega-Sena também porque a sorte estará contigo.

Resumo da Ópera - Avéspera de qualquer concurso é fundamental. Não sei como tem gente que não estuda na última semana ou nos últimos dias. É na véspera, com adrenalina lá em cima, que conseguimos estudar mais e nos concentrar mais. Por isso é que devemos definir certas estratégias de acordo com o nosso momento atual de estudos. Para o TRT-BA, defina suas estratégias, arrume suas armas, mapeie o seu inimigo e vá para a guerra. O sucesso lhe aguarda!

ATENÇÃO!

Este colunista que vos escreve não fará este concurso e não sabia que saiu uma retificação do edital. A PROVA DO CONCURSO SERÁ NO DIA 23/11. Portanto, para aqueles que irão fazer o concurso, saibam que ganharam uma chance de ouro. Tudo que está escrito neste artigo continua valendo, só que agora vocês terão mais tempo de rever tudo e aprofundar nas matérias respectivas. Ô coisa boa!!!!

Tiago Gomes é o Solitário Concurseiro.

——«»———«»———«»———


Clipe do dia



Lembro, como se fosse hoje, quando eu pegava o disco (bolachão) do Pink Floyd e colocava no ponto dessa música só para acordar meu irmão. Ele ficava indignado e eu, claro, me escondia pra não tomar uns cascudos. Minha infância foi recheada de Pink Floyd e sua incrível música "Time", entre outras.

SURPRESA

Tem um artigo da Raquel Solitária fresquinho esperando vocês no Blog do Professor Douglas ... não percam porque está muito, mas muito bom mesmo.


+ Aniversário do blog

HJ É DIA DE FESTAAA!!

O Concurseiro Solitário faz um aninho de vida!

Peço um milhão de desculpas que estou postando somente hoje, porque eu não estava na minha cidade e tampouco conectada à Internet.

Nesse dia maravilhoso eu estava voando para os 40 graus à sombra da cidade de Campo Grande em Mato Grosso do Sul para prestar o concurso de Juiz do Trabalho. Muito linda essa cidade! Muito próspera e hospitaleira! Sentirei saudades!

Reabituada com os meus pouco mais de 20 graus aqui do Sul, vou contar um pouco sobre a experiência que tive com o Concurseiro Solitário e como me tornei a “irmã caçula” dessa grande e afetuosa família.

Com exceção de alguns poucos e sinceros amigos, percebi que nesse mundo concurseiro existem muitas mentiras, vinculação de materiais errados só para “ferrar” com o seu adversário, embora eu ache que nosso maior adversário é nós mesmos!

Completamente descrente de tudo e de todos, achando que a errada sempre fora eu, que eu não tinha mais solução, certo dia, não lembro quando, completamente desestimulada com minhas “quase” aprovações nos concursos públicos, comecei a procurar desesperadamente quem respondesse o por quê dessa provação que passamos durante a vida concurseira. Foi aí que li um artigo da Raquel e me vi literalmente no espelho. A impressão na hora que tive foi que “Eu não estou sozinha!! Todos passam por isso também!!” Nossa! Que alento foi isso! Você caro leitor, não tem nem idéia do enorme piano de cauda que tirei dos ombros. Isso só pode ser coisa de Deus! Eu acredito nesse Ser Supremo, então credito todos os méritos a Deus por ter me mostrado o caminho desse Blog.

Nesse dia, eu virei a madrugada lendo mais de 30 artigos já escritos, e comentava! Comentava artigos escritos há mais de 2 meses! Não era porque já tinham sido escritos há mais tempo que não eram atuais! Fica aqui o convite para você leitor, ler os artigos antigos.

Passei a ser leitora assídua. Tinha dias que eu lia mais de uma vez o mesmo artigo até que postassem outro. Até que chegou um dia que eu li um apelo da Raquel pedindo que postássemos comentários sobre o que ela escrevia e eu me lembro ainda hoje o que eu respondi. Não sei se foram nessas palavras, mas foi nesse sentido: “Querida amiga! (Amiga sim! Porque somente os amigos nos dizem a coisa certa, na hora certa!) não fique triste porque não comentamos os seus artigos, é porque ainda estamos boquiabertos com a semelhança de que as nossas vidas são todas iguais. A luta é igual para todos, e estamos todos no mesmo barco, nessa vida concurseira!” Na hora a Raquel me respondeu e ficamos amigas. Agradeci por todo o carinho que ela sempre escreveu e comentei como a vida dos concurseiros é sempre igual!

Passei a comentar os artigos quase que diariamente, até que chegou um dia que me dei conta que são eram apenas os colunistas que escreviam. Quando percebi isso, eu escrevi algumas linhas num artigo, o “As Olimpíadas e os Concursos Públicos” e não é que o Charles publicou? Ficou tão bom que fiz a versão II. Fiquei muiiiito feliz! Fiquei mais feliz ainda que comecei a receber comentários dos leitores pedindo para eu escrever mais e mais. Minha alegria foi maior quando o Charles me convidou para fazer parte da Diretoria do Blog. Fui parar lá nem sei como. Agora tenho uma coluna só pra mim e faço parte dessa família linda e muito querida!

Resumo da Ópera - Como vocês viram, eu escrevo com o coração. Coloque amor em tudo que vocês fazem que a vida se encarregará de torná-la muito melhor!!

Fabiana Pacheco, Concurseira de Plantão direto de Porto Alegre (RS).

xyz

——«»———«»———«»———

Escrever este artigo na comemoração do aniversário do blog tem um gostinho todo especial para mim. Há um mês também completei um ano de batalhas em busca de um cargo público. Pude acompanhar o projeto desde o comecinho; Nessa época eu procurava obsessivamente informações sobre concursos, melhor material de estudo, escolher entre fazer ou não um cursinho e todas essas dúvidas. Não demorou muito para o Concurseiro Solitário virar leitura obrigatória. De maneira leve, franca e nada piegas, o blog abordava temas tão presentes em nossa rotina de estudos, sempre dando valiosas dicas. Logo vieram os outros membros da equipe, cada um com seu estilo de nos motivar, dividindo impressões e experiências. Constatei que as minhas dúvidas e agruras eram as mesmas de muitos outros concurseiros.

O blog foi decisivo na minha pior fase, que vou tentar relatar para vocês em poucas linhas. O TRT-RJ foi o primeiro concurso para o qual estudei com afinco. Fiz pontuação suficiente para ficar muito bem colocada, mas fiquei de fora. Explico: candidato não poderia errar menos de 50% das questões de nenhuma disciplina. Foram cobradas apenas duas questões de Direito Civil e duas de Constitucional, sendo que errei as de Civil e não tive nem minha redação corrigida. O pior foi saber que eu tinha chances enormes de ficar dentro das vagas, já que tinha feito uma redação muito boa, e acertei o mesmo número de questões de pessoas que ficaram em ótimas colocações. Entrei em depressão profunda. Surtei, lamentei ter largado meu emprego (que eu odiava com todas as forças!) para somente estudar, voltar a depender do meu pai para fazer tudo, ficar sem fazer as coisas que mais gostava. Agindo de maneira precipitada e imatura, fiquei semanas sem me dedicar aos estudos, prostrada, ao invés de comemorar o desempenho e ir em frente na certeza da vitória mais cedo ou mais tarde. Ridículo, eu sei!

Mas, felizmente, apesar de ficar um tempinho longe dos livros, não parei de ler o blog. Os puxões de orelha e as discussões no fórum do Orkut me ajudaram muito a me reerguer, fazer um balanço de tudo que fiz de certo e errado, enfim, parar com o exercício idiota de auto-piedade e voltar aos estudos.

Qual foi minha alegria ao receber o convite para dar minha pequena contribuição ao blog,e depois receber o retorno positivo dos leitores. Saber que ajudei de alguma forma as pessoas que não se conformam, que sabem o que merecem e lutam por isso, sem dar ouvidos aos comentários maldosos e às críticas destrutivas, é indescritível. O espaço aberto à discussão de tudo relacionado a concursos públicos, a disposição dos membros para ajudar, as dicas, tudo isso faz do blog e da comunidade no Orkut instrumentos valiosíssimos para todos nós que estamos nessa luta.

Resumo da ópera - Parabéns a todos que contribuem para essa bela idéia acontecer! Todos sabemos que há os dias em que queremos jogar tudo pro alto, os dias de choro e desespero, os dias que temos que chutar pra bem longe a preguiça, os dias em que tudo parece conspirar contra a gente. Mas também os que estudamos com prazer por horas e horas, motivados e confiantes. Que estes sejam, de longe, os mais frequentes. E em todos os outros estamos aqui para dar uma força.

Ana Luiza, concurseira inveterada do Rio de Janeiro.



——«»———«»———«»———

Nem tudo em nossa vida é do jeito que esperávamos! Quando me formei no colegial em 2005, pensei que sairia dali, faria minha faculdade de Direito e só pensaria em trabalho de verdade no final de 4 ou 5 anos. Acontece que as coisas mudam assim como nossos ideais.

Logo que entrei na guerra dos concursos públicos não tinha idéia do que era e como acontecia. Mal imaginava que era mais uma no meio de tantos tentando encontrar seu lugar ao sol.

No final do ano passado, conversando com uma amiga concurseira, ela me indicou um blog que visitava diariamente. Contou também que as matérias eram interessantes e motivadoras. Resolvi acessar uma vez que não estava em minha melhor fase, quase um ano prestando concursos sem nenhum resultado positivo e tentando me recuperar de um fim de namoro de longa data. Por este mesmo motivo que encontrei no blog um certo consolo de saber que o medo, a luta, as dificuldades acontecem com todos que estão estudando. Que todos passam pelos mesmos impasses e têm os mesmos sentimentos.

Como o próprio nome do blog já diz, estamos sozinhos nesta luta, não é uma guerra entre você e outro concorrente, e sim, entre você e você mesmo. E não é porque estamos lutando sozinhos que precisamos viver isolados dos outros 'concorrentes', pelo ao contrário.

É difícil também encontrar alguém que entenda e possa compreender esse meio ou que respeite a sua decisão de dedicar tempo ao estudo. Assim como eu, tenho certeza que, todos os concurseiros já passaram por amigos, familiares ou apenas curiosos que falaram: "Por que você não arruma um emprego????????" e ser criticado por “SÓ” estudar.

Dependendo da pessoa, uma frase desse tipo pode desanimá-la ao ponto de realmente desistir ou ser capaz de dar mais forças para vencer. E por isso mesmo que vejo no Blog uma fonte inesgotável de motivação! Virou uma leitura obrigatória e com vários legítimos concurseiros escrevendo e mostrando o seu dia-a-dia, suas vitórias e derrotas, divindo o peso que carrega sobre essa árdua batalha.

Quantas vezes não me deparei com um texto que eu ao ler ia só afirmando com a cabeça, sendo exatamente com algo que já me ocorreu ou está simplesmente acontecendo neste momento.

Acho que não há nada pior para um concurseiro do que não poder contar com ninguém, não poder dividir o que está passando e ficar imaginando se é o único que sofre por não saber se está estudando certo, se não sabe se é um paraquedista ou um concurseiro sério e por aí vai.

A idéia do Charles foi excelente de começar um blog onde pudesse compartilhar experiências. Tornou-se algo mais humano do que aqueles vídeos de motivação concurseira onde todos falam que conseguiram, chegaram lá e que tudo são flores. Mas e os caminhos que percorreram??????

Quando me senti numa situação complicada, pedi ao Charles que pudesse compartilhar o que aconteceu comigo, até mesmo para alertar quem estivesse na mesma situação que eu. Gostaria também de agradecê-lo pela oportunidade expor o que eu sentia e mais uma vez estar aqui! Até mesmo por me ajudar a superar um certo trauma de escrever (rsrsrsrs). Sinto-me honrada de ter sido convocada para uma edição tão especial como a de aniversário do Blog.

Resumo da ópera - Não há nada melhor que poder contar com alguém com uma palavra amiga e que possa o motivar a ser o melhor que você tem dentro de si. E que este seja apenas mais um ano de muitos para o Concurseiro Solitário. Ah! Mais uma coisa, onde vai ser a festa????? (rsrsrsrsrsrsrs)

Thais Rosario de Sousa Dias, uma concurseiro ex-estressada e ex-ansiosa, especialmente para o Concurseiro Solitário.


COLUNA DA MALU - Dançando conforme a música

Desde o dia 25 de setembro eu estou fora de casa. Estou em Brasília, na casa da minha irmã, pois vim fazer o concurso do STJ e aproveitei para ficar até o concurso do Senado. Até aí tudo bem. Estou aproveitando para matar as saudades da minha irmã e do meu cunhado. O único problema é que com essa viagem tudo muda.

Na minha casa em Maceió eu tenho uma rotina toda minha, tenho total liberdade para fazer ou deixar de fazer o que quiser. Já aqui as coisas são um pouco diferentes.

Por exemplo: não posso ficar o dia inteiro com o computador ligado, à minha disposição, pois existem outras pessoas que necessitam dele, sem contar o gasto com a conta de energia. E ainda tenho que adaptar meus horários de estudos, pois à noite, geralmente, todo mundo quer sair. É verdade que são programas light, mas é tempo de estudo, né gente?

Até mesmo para tocar os projetos do blog está muito complicado, pois o tempo livre que tenho uso para estudar. Aproveito para pedir desculpas aos leitores se meus textos não estão dos melhores. Parece que escrevo melhor em Maceió mesmo (risos).

Aí vocês devem estar pensando que eu estou odiando esse tempo aqui em Brasília, não é? Pelo contrário. Apesar de todo malabarismo que tenho que fazer para me adaptar a uma nova rotina com diferentes recursos de trabalho, estar aqui em tem sido muito bom para mim.

Sinto que meus estudos ganharam um novo gás. Tenho mais empolgação e motivação para estudar. Estresse e ansiedade? Sinceramente, não os conheço mais.

Com esse episódio na minha vida estou aprendendo, mais uma vez, que nessa caminhada concurseira nem tudo acontece da forma como planejamos. E o que fazer? Entrar em desespero? Claro que não! Temos que aprender a dançar conforme a música. Se você vai a uma festa e o DJ está tocando hip hop, você dança hip hop não é? Digamos que de repente ele coloca música romântica (DJ coloca música romântica em festa??? Eu nem sei mais...heheh), você vai continuar dançando hip hop? Acho que não, né? Você não iria querer pagar um mico desses! Pois é, da mesma forma é a dança da vida. Se as coisas mudam, a gente dança conforme a música. Procura se adaptar com o novo. É bem melhor do que ficar lutando para as coisas voltarem a ser como eram antes. Depois dessa música pode ser que o hip hop volte.

Resumo da Ópera – Estou agora dançando uma música diferente. É difícil a adaptação, mas totalmente possível. Sem desespero. Aproveite aquilo de bom que a vida lhe oferece.

Malu Heli, concurseira do Paraíso das Águas, dançando conforme a música tocada em Brasília.

——«»———«»———«»———

Clipe do dia



O vídeo de hoje é para mostrar como está sendo minha vida no momento. Aliás, acho que a vida de todo concurseiro é assim. É um pouco longo, mas vale a pena assistir até o final. Impressionante a habilidade e a coordenação motora do cara. Só não sei o nome dele. Se alguém souber, por favor me diga.

A vida em pause

“Poderíamos definir a pause como um hiato temporal que acontece entre dois momentos. Do latim pause-ae, o termo designa uma paragem ou uma interrupção momentânea de sons, movimentos, ações ou discursos”.

Nesse final de semana estava dando uma olhada na comunidade do blog no Orkut e num dos tópicos postados pelos leitores havia o de um concurseiro declarando uma mistura de desânimo e desespero por estar aguardando uma posse que parece nunca chegar, por não ter dinheiro, não ter namorada, não ter emprego, enfim, por estar com a vida em pause por conta do sonho do cargo público.

Vamos por partes, como Jack, o estripador, adorava fazer.

1 – Não é pecado de nos sentirmos assim vez ou outra. Realmente é muito ruim viver em pause enquanto lutamos e aguardamos pela posse. O mundo todo em play e nós em pause ... ruim até de pensar. Enquanto apenas estudamos, estudamos e estudamos, nos familiares, amigos e praticamente todo o mundo a nossa volta, vive, se diverte, se preocupa, ganha algum dinheiro, gasta esse dinheiro, compra, consome e tudo o mais, se apaixona, briga, termina, se apaixona novamente, noiva, casa, tem filhos e por aí vai.

2 – O que não pode acontecer é de nos deixarmos levar por esse “mundo em play” e desistir do nosso sonho de posse, de uma vida muito melhor, mais tranqüila, mais estável, mais digna e prazerosa. Viver um pouco incomodado é uma coisa, mas deixar que esse incômodo nos faça desistir é outra bem diferente. O incômodo tem seu lado bom, nos faz lutar com mais garra, nos faz desejar a vitória com mais gana, com mais vontade, por isso devemos saber usá-lo a nosso favor, isso, sim.

3 – Vida de concurseiro é assim mesmo e não é culpa de ninguém se você não foi avisado disso. Dá muito trabalho ser vitorioso nessa guerra, demanda muito esforço, muitos recursos, demora. Porque é assim? Ué, porque se fosse fácil, meio mundo seria servidor público e até onde eu saiba não há tantas vagas assim disponíveis nas carreiras públicas.

4 – Parafraseando o poeta, “tudo vale a pena se a paciência e a vontade não são pequenas”. Conheço gente que até alguns meses atrás estava com o mesmo pause na vida como estamos agora, que hoje estão empossadas e vivendo muito melhor. Uma amiga que recentemente foi empossada num cargo público no Paraná me mandou um email todo alegre e lá pelas tantas escreveu assim “Charles, você não imagina o quanto é bom acordar sabendo que a tal crise norte-americana não poderá roubar seu emprego. Essa semana vou comprar meu primeiro carro zero quilômetro, a parcela será de quase mil Reais e estou fazendo a compra tranqüila, porque sei que apesar de ser recém-empossada, tenho muito mais estabilidade que meu irmão que trabalha há quatro anos num banco de investimentos e está em pânico com a tal crise e a chance real de ser despedido por isso”.

5 – As palavras de ordem do concurseiro são duas ... paciência e determinação. Esse deve ser nosso mantra ... é respirar profundamente três vezes e repetir mentalmente “paciência e determinação” saboreando cada letra e degustando todo o sentido dessas palavras. Se termos paciência convivemos melhor com nossa vida em pause. Se temos determinação nos esforçamos melhor para fazer com que esse pause em nossa vida dure apenas o tempo que deve durar. Junte os dois e seremos concurseiros em paz e esforçados, contentes em lutar por um futuro muito melhor, mais brilhantes, mais estável e com mais dinheiro no bolso.

Resumo da ópera – Parafraseando mais uma vez um poeta ... “Lembre-se, a pause não dura muito. Ela apenas serve para continuar a música!!!”

Charles Dias, o Concurseiro Solitário.

——«»———«»———«»———

PERGUNTA DO DIA

Como você lida com esse pause na sua vida? Você está em paz? Você está atormentado? Abra seu coração!

Essa pergunta deve ser respondida em nossa comunidade no Orkut. Basta clicar no homenzinho ai em cima (você precisa estar conectado no Orkut em outra janela de navegador para ser levado à página de resposta).

———«»———«»———«»———
Clipe do dia



Um cover muito legal do sucesso dos anos 80 da banca A-Ha em versão ska pela banca Reel Big Fish.

COLUNA DA CONCURSEIRA CRÔNICA - Certidões, atestados e desatinos

Passar em concurso é bom; ser convocado, melhor ainda! Ver o nome no Diário Oficial pela primeira vez enche o peito de alegria e conforto. Agora... desloquemos um pouquinho os olhos pro final da página. Lá estão os vários documentos que você deverá entregar para se tornar, efetivamente, um servidor público. A princípio, pode parecer tudo muito complicado, mas no final das contas é infinitamente mais simples do que parece. Aí vão algumas dicas:

1 – Procure informação: isso é fundamental. Pra todas – absolutamente TODAS – as certidões que tirei para o cargo que estou assumindo, as informações de valores, locais e prazos de entrega vieram diretamente da comunidade do Orkut. Não sei o que faria sem essa fonte.

2 – Não relaxe: tente tirar tudo com a maior antecedência possível. Nesse caso, é melhor poder se dar ao luxo de conferir obsessivamente se está tudo ok antes do dia da entrega dos documentos. Um exemplo? Uma das minhas certidões ficava pronta em 24 horas. Tranqüilíssimo tirá-la na véspera, não? Não! O funcionário do cartório, fazendo seu trabalho mecanicamente, cometeu um erro grotesco ao digitar o meu nome na certidão. Resultado? Precisou refazê-la.

3 – Organize-se: antes de partir pra rua feito um doido, cheio de documentos na mão, veja tudo o que você precisa fazer e esquematize dias e horários – vai facilitar muito a sua vida. Há certidões que podem ser tiradas pela internet, enquanto outras só estão disponíveis em cartórios. Combine prazos e locais pra não gastar tempo desnecessariamente.

4 – Peque por excesso: não confie nas instruções para certidões e atestados só o edital, só da convocação do Diário Oficial ou só da carta de convocação que chega à sua casa. Tenha absoluta certeza que há informações a mais ou a menos em todas elas. É indispensável que você leia AS TRÊS e tire TODOS OS DOCUMENTOS QUE FOREM CITADOS. Vejam o meu caso: a convocação do Diário Oficial fala em certidão de antecedentes criminais do distribuidor da comarca de residência do candidato, estritamente. Acontece que, dias depois, minha carta de convocação chegou às minhas mãos dizendo que a certidão deveria ser tirada em todas as comarcas em que o candidato residiu NOS ÚLTIMOS 5 ANOS! Se eu não tivesse essa informação, teria um grande problema, pois só moro no meu atual endereço há 6 meses, e precisei tirar a famigerada certidão no distribuidor daqui e nos 4 distribuidores do Rio de Janeiro.

5 – Prepare o bolso: é, meus amigos: certidões, autenticações e desatinos custam dinheiro, infelizmente. No meu caso, foram quase 200 reais, sem contar as passagens de ida-e-volta para a Velhacap. Tem algumas formas de não gastar tanto. Quem é desempregado e precisa de certidões criminais, por exemplo, pode pedir isenção à Defensoria Pública de sua comarca. Eu até me enquadro nessa situação, mas tive receio da dupla burocracia me fazer perder o prazo e resignei-me a gastar o que não tenho. C’est La vie.

Resumo da Ópera - Espero ter ajudado vocês a desmistificar um pouco essa fase pós-concurso. Vão por mim, é bem mais simples do que ser aprovado.

Flavia Crespo é a Concurseira Crônica.


COLUNA DA RAQUEL SOLITÁRIA - Não inveje, não faça terrosismo, apenas estude

Oi, concurseiros. Escrevo esse artigo porque, apesar de não acreditar que a energia cósmica dos astros nos influencie, eu acredito que a presença de pessoas invejosas em nossas vidas pode nos fazer mal.

Comecei a observar essas coisas porque algumas pessoas que conheço ficam me olhando de um jeito estranho quando falo dos estudos, motivação, técnicas e etc.

Senti que esse é um aspecto muito importante quando um amigo, dia desses, falou que ia se afastar de um cara derrotista e invejoso que enchia a paciência dele. Depois disso, algumas coisas ficaram muito claras para mim.

Bem, não vou ficar discutindo os meandros freudianos, lacanianos da questão, pois não tenho gabarito para isso. Além disso, O OBJETO DESSE ARTIGO É APENAS MINHA OPINIÃO, NÃO É VERDADE ABSOLUTA.

O fato é que suas companhias vão dizer muito seu perfil de concurseiro, se irão te ajudar ou te atrapalhar. "Diga-me com que concurseiro tu andas, que direi quem tu és" é uma máxima que acabo de criar a partir da do antigo ditado. Assim, se há convivência com pessoas que só contribuem para sua melhora, para uma reciprocidade, inevitavelmente, haverá um progresso na sua vida. Se, do contrário, você não convive com pessoas assim ou não mergulha de cabeça nesse universo, a tendência é invejar outra pessoa bem resolvida nesse quesito. Então, aconselho mesmo que observe bem essas suas companhias, prezado leitor!

Vejo, também, que alguns concurseiros (exceto alguns muito bacanas) se aproximam de mim e de outros amigos para tentar nos derrubar. Como não conseguem estudar ou se motivar, querem tentar eliminar a concorrência com táticas de terrorismo. Se um dia isso funcionou, agora eu não caio mais nessa. Meus sentidos estão muito treinados! Por isso, nem adianta vir falar que a prova é difícil e que está estudando 14 horas por dia ou me oferecer material de estudos com erros crassos. Não caio mais nesse tipo de armadilha. Não importa o que acontecer, eu estudarei. Eu tenho consciência de que eu sou a única responsável pelo meu sucesso e não atrapalharei ninguém.

Outro aspecto importante que venho observando é que os concursos devem ser encarados com profissionalismo. Se for isso que você almeja na sua vida, faça de tudo que puder e crie também as possibilidades. Não fique esperando as condições perfeitas para chegar onde deseja. Se você ficar esperando todas as condições acontecerem, você nunca fará mais nada na sua vida a não ser esperar. Afinal, não temos controle sobre todas as variáveis que nos cercam. Portanto, o bom concurseiro e, por conseguinte, bom profissional precisa ser pró-ativo e não fica esperando dias melhores. Faça o seu dia ser melhor, pois só você pode fazer isso! Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Eu, por exemplo, procuro pessoas aprovadas em concursos e converso com elas, freqüento palestras de atualização profissional e faço de tudo um pouco para ser uma concurseira melhor.

Algumas pessoas têm inveja, olham para mim de um jeito esquisito, acham que eu sou de outro mundo. Que nada! Eu sou mortal, sofredora, chorona e tenho preguiça também! Elas adoram dizer que eu "tenho tempo pra estudar", "que eu sou mais inteligente", "que meus pais me agüentam", "que tenho mais força de vontade". Isso acaba virando fantasma na cabeça dessas pessoas.

Por outro lado, eu tenho diversos outros problemas que quem trabalha não tem. Vivo num tremendo aperto financeiro sempre. Além disso, não entendo esse sentimento porque eu ainda não apareci em nenhuma lista de aprovados! Não há motivos reais para se invejar alguém assim.

As pessoas precisam parar de ter pena de si mesmas e ficarem se comparando a outras. Isso não é saudável e não leva ninguém à vitória. O que nos leva à vitória é o nosso próprio trabalho, esforço e estudo. Afinal, que é mesmo que faz a nossa prova? Só nós mesmos!

Resumo da Ópera – Não arrume desculpas, enfrente seus medos, fantasmas e dificuldades pessoais. O modo de estudar das outras pessoas, o sucesso delas não deve ser motivo de tristeza pra você, mas um exemplo de sucesso, Deve-se encarar como mais uma forma de mostrar o caminho das pedras. Saber que os concursos são grandes filas que andam até chegar sua vez (se você continuar insistindo e estudando) deveria ser um mantra a ser repetido até a exaustão.

Raquel Solitária, uma legítima concurseira carioca.

——«»———«»———«»———

Música do dia



Como não poderia deixar de ser, a música de hoje é "Caruso", linda música cantada pela Banda Sinfônica dos Fuzileiros Navais. É de arrepiar!

Se você quiser falar comigo, mandar uma sugestão ou dúvida, meu e-mail é raquel.solitária@gmail.com

Hoje o blog faz aniversário!

Quando comecei a estudar para concursos público no ano passado, não demorou muito para eu sentir falta de algo além de bom material de estudo e dicas de como estudar direito para poder enfrentar essa guerra. Apesar da boa quantidade de websites e blogs voltados para concursos públicos, sentia falta de algo mais humano, mais centrado nas expectativas, medos, forças, fraquezas, certezas e dúvidas dos concurseiros. Procurei muito por algo assim na Internet, o máximo que encontrei foram mensagens esparsas em fórums concurseiros.

Um belo dia pensei “se ninguém faz, farei eu” e então criei esse blog, cujo nome representava exatamente como me sentia isolado de outros concurseiros, Concurseiro Solitário.

No começo eu escrevia sozinho sobre minhas experiências na guerra dos concursos públicos, fazia algumas divagações, reclamava de algumas coisas. Sinceramente, escrevia como uma forma de terapia diária, como uma forma de externalizar o que sentia ... sem precisar pagar para um analista me ouvir fazendo cara de paisagem ... hehehe. Só que outros concurseiros começaram a ler o que eu escrevia e começaram a se identificar com tudo aquilo. Comentários começaram a ser postados, a terapia individual passou a ser de grupo.

Hoje o Concurseiro Solitário é lido por milhares de concurseiros todos os dias, tem uma equipe de excelentes articulistas, recebe comentários, agradecimentos, sugestões e tal (apesar de que gostaríamos que mais gente comentasse, agradecesse, sugerisse ... fica a dica). O blog hoje é citado por concurseiros, por outros blogs, por websites, por professores de cursinhos. Não, não ganhamos nem um tostão com isso e nem queremos. O que nos anima e nos faz seguir em frente é sabermos que com nossos artigos diários, ajudamos muitos concurseiros como nós mesmos a continuar lutando por seu sonho de uma vida melhor na carreira pública, a acreditar que é possível alcançar esse sonho, a não se deixar abater. Quer prova melhor de que a vitória é possível que a vitória recente de nossa amiga Flávia Crespo, que está com data de posse marcada no TJRJ?!

Algumas coisas tornam o Concurseiro Solitário único na Internet brasileira:

1 – Quem escreve no blog é gente que luta na guerra dos concursos públicos da mesma forma como quem lê. Somos todos concurseiros e, portanto, nos entendemos melhor que ninguém.

2 – Temos atualização diária, de domingo a domingo. Todos os dias (com raras falhas) publicamos artigos inéditos.

3 – Não fazemos isso com finalidade de ganhar dinheiro, nem propaganda temos no blog.

A responsabilidade é grande. Não é raro de recebermos emails de concurseiros declarando que somente continuam na guerra dos concursos públicos porque podem contar com a força que passamos através do blog. Já recebemos vários mails de leitores que alcançaram a vitória e nos agradeceram porque parte desse sucesso nos é devido. Isso tudo requer responsabilidade, pois estamos lidando com algo muito precioso e sensível, a esperança e a motivação das pessoas.

Planos para o blog temos muitos, mas também temos paciência. Vamos fazendo alguns projetos especiais ao longo do tempo, temos outras surpresas no forno, mas tudo sem correria, com calma. Já nos perguntaram porque não lançamos um livro ... lançaremos, depois da nossa vitória, da nossa posse.

Resumo da ópera – Fico muito feliz em estar comemorando um ano de aniversário do blog. Só ganhei com essa idéia. Ganhei motivação e coragem para lutar, ganhei amigos, ganhei a certeza de que estou ajudando outros concurseiros, tudo isso vale ouro, gente!

Charles Dias, o Concurseiro Solitário.

Clipe especial de aniversário


——«»———«»———«»———

Em outubro do ano passado eu estava deprimida demais. Eu era reprovada sempre nos concursos para os quais estudava, tirava as mesmas notas que muitos concurseiros que fingiam estudar, o que acabava com a minha auto-estima.

Comecei uma busca alucinante por mecanismos para melhorar minhas técnicas de estudos. Buscava no Orkut, buscava no Google, quando me deparei com um sujeito no Orkut que divulgava na comunidade "Eu estudo sozinho para concursos" o seu blog. Muito desconfiada, pois há muita coisa ruim pela Internet, eu li o primeiro artigo desse rapaz. Eu fiquei muito desconfiada, pois ele usava um perfil com cara de fake (risos).

Lido o primeiro artigo, gostei e comecei a acompanhar mais. Eu sempre ficava com medo de comentar porque, até então, eu tinha medo de me expor pela Internet. Foi com o artigo "A fila anda" que eu resolvi tomar coragem para comentar e procurei saber mais sobre o blog em questão. Daí, intriguei-me com o nome Concurseiro Solitário, sua descrição e todo o layout! Depois disso, virou minha leitura diária.

Simplesmente, eu fui tocada por aquele artigo, pois refletia exatamente o momento triste em que eu vivia e ali estava a solução. Depois de muito participar, eu até ganhei um artigo só pra mim (risos), pois eu estava em dúvida sobre se faria prova para a Marinha novamente. Realmente, aquilo ajudou muito porque, mesmo sendo a maior responsável pela decisão, a análise fria me ajudou a enxergar meu caminho. Afinal, concurseiros vivem se deparando com obstáculos quase paralisantes.

Depois, minha participação foi crescendo, crescendo até que eu adicionei aquele "perfil fake" no orkut. O Charles se tornou meu amigo e me fez o convite para escrever para o blog. Senti um tremendo receio, pois havia artigos muito bons. Comecei tímida, mas depois saí abrindo a geladeira para pegar um suco e agora faço parte da equipe.

Resumo da Ópera (esse trecho para conclusão sempre me intrigava) - Esse blog me ajudou muito a aprender a amadurecer, a ter novas amizades, a aprender a passar o que aprendi, a compartilhar com as pessoas. Comparo a concurseira de outubro de 2007 com a de agora e fico com orgulho de mim. Compartilhar não nos enfraquece, mas nos fortalece. Esse blog tem grande parcela de influência no meu modus operandi atual de estudar.

Raquel Solitária, uma legítima concurseira carioca.


Clipe especial de aniversário


——«»———«»———«»———

O que estou fazendo aqui? Boa pergunta... nunca parei para pensar como eu vim parar no Concurseiro Solitário. Pra falar a verdade, eu não ando lembrando de nada a não ser dos benditos artigos e matérias que farão com que eu passe em um concurso público. Mas como hoje é uma data especial, vou fazer esse grande esforço.

Estudo há dois anos para concursos e nunca fui de usar a Internet como arma em meus estudos. Gosto de ir para uma biblioteca, me envolver com meus livros e folhas, além da minha lapiseira. Não, não uso aquele monte de canetinhas colorida, não faço mapas mentais e nem resumos. Sou um concurseiro antiquado, mas tenho conseguido coisa boa assim. No começo do ano, dando minhas voltinhas pela Internet, conheci o Concurseiro Solitário. Não me pergunte como e nem onde. Simplesmente cheguei aqui e gostei do que vi. Passei a acompanhar, não diariamente. De vez em quando passava por aqui e lia os artigos, ou seja, eu só recebia e tentava colocar o que lia em prática.

No final do mês de março o Charles colocou um aviso, em um dos artigos, convidando leitores a escreverem para o blog. Nem levei a sério, pensei logo que centenas de pessoas mandariam e o meu texto ia passar batido. Meu português, até então, estava enferrujado e eu não ia passar essa vergonha. Foi então que ele colocou outros avisos e aí um dia eu tive uma idéia, inspirado em uma frase que eu tinha visto, também não sei onde. Foi então que escrevi um artigo chamado "Herrar é o mano" que, para a minha surpresa, foi o primeiro artigo de um leitor convidado a ser postado neste blog, isso aconteceu no dia 5 de abril deste ano. No outro dia foi publicado um texto de outra leitora, chamada Flávia Crespo, e na outra semana um artigo de uma leitora chamada Raquel Monteiro.

Depois desse primeiro artigo, vários outros vieram. Lembro que mandava o texto durante a semana e ficava torcendo para que ele fosse publicado no final de semana. Como eram três pessoas que mandavam o texto, sempre sobrava um. Até então, não tinha nenhum contato com o Charles e nem com Flávia e Raquel. Apenas mandava os textos e esperava que eles fossem incluídos no blog. Eu era, portanto, um mero desconhecido com quase dez artigos publicados. Ninguém manda ser anti-social... me desculpem.

Foi então que ganhei a minha coluna semanal, na ocasião escrevi um artigo chamado "Eu protesto!", muito legal e que marcou a minha passagem por aqui desde então. Passei a ter contato com as outras leitoras convidadas e agora colunistas (Flávia e Raquel) e junto com o Charles formamos por um tempo o staff do Concurseiro Solitário. De nossas cabeças saíram idéias mirabolantes que até hoje estão para ser colocadas em prática. Mais recentemente foram integradas ao nosso grupo a Malu e a Fabi. A equipe cresceu junto com a nossa responsabilidade para com você leitor, responsável pela existência desse primeiro ano de blog.

Acredito firmemente que não existe nada melhor do que fazer algo por prazer. Escrevo por prazer e pra mim. Se a carapuça serve para você, concurseiro como a gente, é porque estamos no mesmo barco. Estudar para concursos é um processo e por mais que as pessoas sejam diferentes, cada vez mais acredito que o processo de sofrimento de todos nós seja o mesmo. Espero que seja apenas o primeiro ano e espero escrever muita "porralouquice" por aqui ainda.

Feliz aniversário Concurseiro Solitário, depois eu mando a conta!!!!

Resumo da Ópera - Não há nada mais resumido do que o resumo do resumo da ópera. The End!

Tiago Gomes, o Solitário Concurseiro, especialmente para o Concurseiro Solitário.

Clipe especial de aniversário


——«»———«»———«»———

Comecei a estudar pra concursos público há exatos dois anos, ainda um pouco reticente quanto a ser uma escolha definitiva, mas com muita vontade de ser aprovada. Em dezembro de 2007, comecei a me sentir um tanto quanto angustiada: um ano de sangue, suor e lágrimas e nenhum cargo público. Acho que é normal entrar em crises do gênero quando as respostas não são imediatas; como toda concurseira inexperiente, pensei que, para mim, tudo aconteceria um pouco mais rápido.

Nessa época, como sempre fiz em minha vida, resolvi descarregar as tensões na pena. Modéstia à parte, sempre escrevi bem, e desde cedo a escrita foi minha forma preferida de expressar sentimentos de uma forma precisa. Era através do papel que me sentia segura e à vontade para externar amor, raiva, tristeza, alegria e, principalmente, para fazer as minhas pequenas catarses pessoais. Nesse espírito, criei o blog "O Concurseiro – Crônica de uma aventura pública", destinado, inicialmente, a contar minhas histórias de concurseira e algumas percepções pessoais sobre o serviço público. Experiência para tal eu tinha: desde criança convivo com a "coisa pública" bem de perto.

"O Concurseiro" conquistou alguns leitores, o que me deixou bem feliz. Em março desse ano, um artigo sobre as "cascas de banana" da vida inspirou um elogio e um convite: o Charles gostou do meu jeito de escrever e me chamou para embarcar na nau do Concurseiro Solitário. Fiquei feliz e empolgada com a possibilidade de dividir histórias e conhecer pessoas que passavam por um momento semelhante ao meu. Devo dizer a vocês que isso aconteceu num contexto em que eu precisava sobremaneira desse sopro de vida. Dias antes, durante o processo de mudança para a casa dos meus pais no interior, depois de muitos anos morando sozinha, para economizar e estudar para concursos, aconteceu algo bem desagradável. Havia encontrado um espírito de porco, conhecido da família, que tinha simplesmente arrasado com meus sonhos concurseiros e as minhas escolhas profissionais anteriores. Estava tão fragilizada que não consegui reagir. Nunca me senti tão só, mas tudo iria mudar. Posso dizer, sem pestanejar, que o Concurseiro Solitário me ajudou a passar sem maiores traumas pela mudança e pelos primeiros tempos aqui na "roça" de luxo.

Minha estréia foi em 6 de abril. Logo depois, uniram-se a mim e ao Charles a Raquel e o Tiago, que rapidamente viraram amigos dos mais queridos, e depois Malu e Fabi, que ainda estou conhecendo melhor. Juntos discutimos, rimos, brincamos e compartilhamos sucessos e desventuras, sempre com o bom tempero da participação de vocês, leitores. É para vocês que pensamos projetos megalomaníacos – sim, temos um quê de loucos, senão não estaríamos aqui... – e imaginamos textos informativos ou bombásticos. E é com vocês, nesse turbilhão de emoções que é a nossa aventura pública, que seguiremos em frente, prova após prova, posse após posse, até chegar lá – onde quer que seja o "lá" de cada um de nós!

Resumo da Ópera - Mal posso esperar para encontrar o tal espírito de porco agora... risos, muitos risos!

Flavia Crespo, a Concurseira Crônica.

Clipe especial de aniversário


Chico Buarque - "Essa Moça Tá Diferente"

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme | Blogger Templates | Low Interest Credit Cards